Crise no Rio Grande do Sul 2018 : Governador emedebista José Sartori atrasa mais uma vez os salários

Governador Sartori - Foto: Ivan Andrade
Governador Sartori – Foto: Ivan Andrade

Crise no Rio Grande do Sul

Governador emedebista José Ivo Sartori promove mais um atraso de salários dos servidores do executivo gaúcho

O governo estadual pagou na terça-feira (31.07.18), o salário integral para os servidores com rendimento líquido entre R$ 1.100 e R$ 1.300. Desta maneira, um total de 75.968 matrículas receberam em dia, o que representa 22,3% do funcionalismo do Executivo. Salários de líquido até R$ 1.200, representam 18% do funcionalismo, o que representa 61.591 matrículas do Poder Executivo.

O governo emedebista que administra o estado por atrasos, depositou a sétima parcela já corrigida do 13º salário de 2017 para todos os vínculos (R$ 114 milhões), assim como a indenização pelos dias de atraso dos vencimentos de junho (R$ 840 mil).

Até R$ 8 mil
A Fazenda mantém a previsão de quitar os salários líquidos de até R$ 8 mil no máximo até o próximo dia 14. Esta projeção leva em conta em especial a arrecadação do ICMS neste período. Ao atingir este valor, serão 93% das matrículas com a folha integralizada até esta data, o que representa 317.278 vínculos. Já a quitação aos servidores acima deste salário líquido (7% do funcionalismo) deverá ocorrer a partir do dia 21.

Receita X Despesa
Ao longo do mês de junho, a receita líquida ficou em R$ 2,32 bilhões. O valor líquido da folha de pagamento em junho fechou em R$ 1,204 bilhão. Um saldo de mais de 1,1 bilhões. Porém o governo do emedebista José Ivo Sartori anuncia um déficit financeiro do período em mais de R$ 1,13 bilhão. O governo do Estado está usando quase que a totalidade da receita líquida em outras rubricas, gerando falta de dinheiro para o pagamento dos servidores do poder executivo. Não é caso de improbabilidade administrativa ? A Assembleia Legislativa vai continuar omissa e conivente ?

Salários
:: A parte líquida da folha de junho fechou em R$ 1,204 bilhão, sem considerar os valores das consignações. Ao todo, o Poder Executivo contempla mais de 341 mil vínculos entre ativos, inativos e pensionistas.
:: 55,36% das matrículas, mais da metade da folha de pagamento do executivo gaúcho, recebem até R$ 2.500,00.
:: 88,34% das matrículas ganham até R$ 6.500. Isso é salário alto ?

Salário Mínimo
:: 01.01.2018 R$ 954,00 Decreto 9.255/2017
:: 01.01.2017 R$ 937,00 Decreto 8.948/2016
:: 01.01.2016 R$ 880,00 Decreto 8.618/2015
:: 01.01.2015 R$ 788,00 Decreto 8.381/2014

Crise no Brasil e no Estado
O impacto na receita de impostos, conforme o secretário da Fazenda, Luiz Antônio Bins, decorre diretamente da queda da atividade econômica verificada desde o mês maio. Conforme o secretário explicou em coletiva à imprensa, apenas a arrecadação bruta do ICMS ficou R$ 200 milhões menor do que no mês de maio, o que agravou o quadro financeiro. Na comparação com junho do ano passado, o recuo do principal tributo estadual caiu no mesmo patamar. O secretário Luiz Antônio Bins colocou na ‘conta’ da paralisação dos caminhoneiros o principal motivo na queda de arrecadação. A gestão do emedebista José Ivo Sartori, no governo do Estado do Rio Grande do Sul aniquila Instituições e o patrimônio público, promove e garante isenções fiscais à empresas, atrasa descaradamente salários, retira o poder de compra dos servidores públicos, não investe e coloca a culpa da incompetência administrativa na greve dos caminhoneiros. É lamentável a atuação dos políticos gaúchos, tanto no executivo quanto no legislativo.