Dia da Cachaça : produção e degustação da bebida mais típica do Brasil

Delfino Golfeto Dia Nacional da Cachaca
Especilista Delfino Golfeto comenta sobre a cachaça

Dia Nacional da Cachaça

Em comemoração ao dia 13 de setembro, Dia Nacional da Cachaça, data criada pelo Instituto Brasileiro da Cachaça (Ibrac), em 2009, sortimentos.com traz as explicações do especialista Delfino Golfeto sobre a produção artesanal e quais fatores devem ser observados na degustação da bebida.

Para o especialista em cachaça, tudo começa na roça, já que uma bebida de qualidade depende do bom preparo do solo, rico e bem cuidado. Além disso, a fermentação precisa ser perfeita e a destilação deve ser realizada com muita atenção, principalmente com base no teor alcoólico. “Na produção da cachaça artesanal tudo tem que ser feito com muito carinho, de pouco em pouco, por isso é importante que o transporte também seja feito em pequenas quantidades”, revela Delfino.

A próxima etapa é a fermentação, processo que transforma o açúcar da cana em álcool. “É neste momento que definimos a qualidade da cachaça. Em seguida, chega o momento de efetuar a destilação. O resultado é uma bebida límpida, cristalina e incolor, ou seja, a famosa branquinha!”, conta.

“Nesse momento, você já pode bebê-la, mas as branquinhas podem ser descansadas em barris de madeira neutra. Ou, se preferir, você pode também envelhecer a cachaça, em barris de madeiras nobres, tornando-a aromática e colorida”, orienta.

Já a degustação é simples. Basta colocar a cachaça em um copo. Primeiro, sinta o aroma dela, dessa forma é possível identificar se ela é de boa qualidade, já que se agredir seu nariz, trata-se de uma cachaça muito ácida, e isso não é bom sinal. Outros fatores a serem avaliados são a presença de bolhas, transparência, oleosidade e frutuosidade.

.