Expoleite Fenasul 2019 amplia programação no evento marcado para maio em Esteio

Gadolando Expoleite Fenasul 2019
Banho de Leite – Gadolando – Expoleite Fenasul – Foto JM Alvarenga

Expoleite Fenasul 2019

A programação da 42ª Expoleite e 15ª Fenasul que ocorre de 15 a 19 de maio no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS), contará com concurso leiteiro, julgamento da raça Holandesa, palestras e feira de empreendedorismo.

O presidente da Gadolando, Marcos Tang, destacou que esta edição contará com uma estrutura maior em termos de programação devido à participação de várias entidades que estão realmente incorporando a feira. Afirmou que as atividades que serão desenvolvidas durante os cinco dias do evento se destinam ao público urbano, que tem interesse no que acontece no campo, e ao público afim, como veterinários, técnicos e criadores. “A Expoleite Fenasul é o segundo maior evento dentro do Parque Assis Brasil depois da Expointer, e neste ano estamos trabalhando para que ocorra um evento muito maior, com uma participação mais ampla de diversas entidades dentro da programação”, sinalizou presidente.

Programação
A programação da Gadolando – Associação dos Criadores de Gado Holandês do Rio Grande do Sul, na Expoleite Fenasul além do Concurso Leiteiro que se encerra na quinta-feira, dia 16 de maio, com o já tradicional Banho de Leite que ocorrerá às 17h, vai contar também com o Julgamento da raça Holandesa, com a classificação de fêmeas paridas, conjuntos e Grande Campeonato. Haverá ainda a Entrega de Prêmios da Raça Holandesa Expoleite 2019 e o Desfile dos Campeões. Vale lembrar que o líquido utilizado para o Banho de Leite contém uma grande quantidade de água misturada em um pouco de leite.

Concurso Leiteiro
Marcos Tang, destaca que diferentemente dos julgamentos morfológicos e de pista quando quem assiste precisa entender da raça e o que o juiz está avaliando, no concurso leiteiro é fácil evidenciar a vaca campeã porque é a que produziu mais leite. No entanto, alcançar uma boa produção não é simples, é preciso que o animal tenha genética para tal feito. Para chegar em uma exposição e produzir grandes quantidades de leite, a vaca também deve ser bem conduzida, bem alimentada, ter conforto e, sobretudo, ter um temperamento adequado. “Uma vaca completa é a que come bem, que produz leite e que consegue fazer tudo isso em um ambiente estranho”, observa Tang.

Conforme o dirigente, é bastante complexo fazer uma vaca campeã de torneio leiteiro. Explica que o produtor ao pensar em obter boas produções realiza um longo trabalho que se inicia já no acasalamento da mãe com a utilização do sêmen de um touro adequado. “Não adianta uma vaca só produzir muito, ela também tem que ter pernas para chegar à ordenhadeira, capacidade digestiva para conseguir comer bastante, assim como capacidade respiratória e circulatória para ter uma boa oxigenação”, salienta.

Tang lembra que os torneios leiteiros são bastante reais por não serem permitidos o uso de medicações. “As vacas têm que produzir o leite a partir da ingestão voluntária oral, não podendo ter injeções e artificialidades. Com isso preservamos o conforto do animal”, sinaliza, ressaltando que os produtores que conduzem seus animais aos torneios têm que saber o que eles devem comer e qual a quantidade de proteínas, de fibras e de água. “Certamente teremos vacas produzindo muito leite e vacas de boa conformação subindo na nossa sala de ordenha e que poderá ser acompanhada pelo público”, afirma o dirigente .

Mais
Entre outras atividades estão confirmadas a realização da Feira de Terneiros, Classificatória ao Freio de Ouro, Pub do Queijo, palestras com temas sobre Brucelose e Tuberculose, Mormo, Inspeção de Produtos Lácteos, Aftosa, Segurança no Campo, Noz-Pecã e Morfologia do Gado Leiteiro, além do lançamento de livros e feira do empreendedorismo.

.