Pesquisa Dia dos Namorados 2019 : intenção de compra, uma previsão otimista e outra pessimista

dia dos namorados restaurante

Pesquisa Dia dos Namorados 2019

Intenção de compra, uma previsão otimista e outra pessimista ( que renomeamos com realista )

– –
57% irão às compras na semana do dia 12 de junho e investirão cerca de R$ 217,00. Em 2018, o ticket médio foi de R$ 193.
– –

Presentes entre R$ 101 e R$ 200, que somam 43% das intenções de compra e mostram um incremento de 6 p.p. em relação ao último ano. É o que mostra o estudo da CDL Porto Alegre, encomendado à Vitamina Pesquisa para a próxima data comemorativa de 2019.

Lembrancinha
O mesmo percentual de casados (45%) e namorados (45%), afirmou que irá comprar uma lembrança para comemorar a data.

Compras
Roupas (33%), perfumaria (20%), acessórios (8%), calçados (7%), flores (7%), livros (7%) e joias (4%) estão entre os itens preferidos dos entrevistados.

Turismo
Para a maioria dos entrevistados, viajar a dois é a atividade perfeita para o Dia dos Namorados, unindo o desejo do presente com a companhia da pessoa amada.

Jantar
Crushes, namorados e casados sairão para jantar (47%), trocarão presentes (36%), farão algo especial em casa (26%) e embarcarão em uma viagem (10%).

Por classe
No que se refere ao investimento, a pesquisa mostra que a classe A irá gastar mais, em média, R$ 302,03. Já a classe D surpreende com presentes de R$ 249,03 – valor superior aos R$ 176,22 da classe C e aos R$ 141,98 da classe B. Neste ano, o público 60+ terá o maior ticket entre as faixas etárias consultadas, com R$ 202. E, quando a troca de presentes é entre pessoas do mesmo sexo, (9% dos entrevistados), os namorados têm maior participação do que os cônjuges, 14% e 4% respectivamente.

Análise Otimista
De acordo com o estudo técnico do economista-chefe da CDL Porto Alegre, Oscar Frank, o varejo de Porto Alegre deve registrar movimentação financeira 2,8% superior à do ano passado. “Esse percentual considera a evolução recente da massa de salários, bem como a atual conjuntura econômica permeada pela fraqueza do mercado de trabalho, pela aceleração geral do nível de preços e pela estabilização do mercado de crédito”, destaca o economista-chefe.

Análise Pessimista
“Tenho dificuldade de entender um cenário que apresente crescimento e ânimo ao consumo. Os funcionários do executivo municipal não ganham aumento há mais de três anos ( perda do poder aquisitivo), há atrasos no pagamento do executivo estadual, aumento da inadimplência do consumidor e das micro e pequenas empresas, as novas contratações não representam um ganho salarial e os índices de desemprego e informalidade são altíssimos. Seguindo, muitos clientes negociaram com seus bancos o saldo do cheque especial, comprometendo o orçamento. Para completar, permanece absurda as taxas de juros do rotativo do cartão de crédito, que inviabiliza qualquer gasto fora do comprometido. No meu cenário, será mais uma pesquisa não representativa, frustrando os empresários, que terão quedas em seus negócios como na Páscoa e Dia das Mães”, diz Fabio Juchen, editor de sortimentos.com. “As pesquisas para as duas datas eram otimistas, previam aumentos no ticket e até no número de clientes”, relembra. “Outra coisa, como há indícios de aprovação da Reforma da Previdência, já há movimentos de alocação de parte do orçamento destinado para as compras repassados para pagar os planos de Previdência oferecidos por bancos privados. É menos dinheiro para consumo e mais para o sistema financeiro, que recoloca no mercado com spread bancário elevadíssimo. O consumidor não está capitalizado. Falta dinheiro no mercado. Vai ser um Dia dos Namorados, para amar e não para comprar”, analisa o editor.

.