Comece 2016 com as finanças pessoais em dia

financas-2016-como-poupar-dinheiro-ano-crise-sortimentos-foto-reproducao-internet-600x350-1

Começar 2016 com as finanças pessoais em dia. Esta é a meta e ponto fundamental na vida de todos nós. Dificuldades financeiras afetam diretamente o aspecto emocional e a produtividade, seja no trabalho ou na vida pessoal. Quantas promessas são feitas para o ano que se inicia e quantas deixamos de fazer por falta de planejamento e organização? Quando traçamos metas e objetivos, independente da finalidade, devemos focar e traçar um plano de execução, assim é a vida!

A instabilidade financeira de muitas pessoas se deve ao crescimento da crise econômica instaurada fortemente em 2015, e ao contrário do que pode parecer muitos economistas acreditam que a crise não é passageira, ela estará presente na vida dos brasileiros por pelo menos mais três anos. A estabilidade financeira pode acontecer caso você realize ações simples – planejamento e disciplina. Organizar as finanças representa o primeiro passo em direção à concretização de sonhos. Com iniciativas e controle adquirido no seu dia a dia, você pode obter equilíbrio financeiro e as etapas dos seus sonhos podem ser concretizadas brevemente.

O consultor financeiro, Marcelo de Souza  destacou algumas dicas básicas para você se planejar e começar o ano pensando nas finanças e concretização dos seus sonhos.

1 – Defina seu orçamento

Reserve a primeira ou segunda semana do mês de janeiro para montar uma planilha com todas as despesas, fixas, dívidas, pagamentos e gastos eventuais. Insira também todas as suas receitas, tais como salário, recebimentos extras (aluguéis), gastos eventuais, etc. Monte seu orçamento mensal, adequando os gastos às receitas. Muitas pessoas possuem gastos que passam da sua receita mensal, isso precisa ser colocado nos eixos. Seu orçamento de gastos deve ser menor que seu ganho mensal. É preciso que você guarde mensalmente 10% a 20% da sua renda total, você pode fazer dessa quantia uma poupança futura ou utilizar para algo eventual.

2 – Estabelecendo suas prioridades

Seu orçamento está em desequilíbrio desde que a crise se instaurou, então não tente entender o rumo da crise – entenda que seu orçamento precisa se adequar ao momento -, o caminho é reduzir imediatamente as despesas e balancear suas receitas. Defina com a família as prioridades e elimine o que não é essencial. Esse período de ajuste requer disciplina, já posicione a família sobre alguns cortes, tais como: viagens, idas aos shoppings nos finais de semana, restaurante, cinema, passeios, compras supérfluas podem esperar até que o ajuste financeiro seja retomado. O período de cortes pode ser longo, mas é necessário para reajustar seu financeiro. Saiba readequar seu orçamento, entretanto não seja radical, momentos de lazer são importantes também.

3 – Como usar o dinheiro

Quantas pessoas estão desempregadas e quantas receberam cortes no salário nos últimos meses? Esse número vem crescendo diariamente por conta da crise econômica. Muitas pessoas estão mais preocupadas em ganhar dinheiro, mas nem todas sabem usá-los da forma correta. Quem ficou desempregado viu na crise a chance de montar seu próprio negócio, outras estão vivendo das parcelas do seguro desemprego e não sabem como será o próximo ano. É preciso aprender com os erros para conseguir realizar os sonhos. Faça cursos de capacitação, busque informações sobre finanças, estude o mercado e a economia do país, veja as possibilidades para que seu negócio tenha vida eterna e lhe traga bons resultados. Para os desempregados é preciso se qualificar para atender as exigências do mercado, busque cursos de capacitação nas áreas que mais empregam e também não fique esperando por um emprego na sua área. As contas não esperam e seu orçamento pode arruinar seus objetivos.

4 – Direcionamento financeiro

Você precisa ter uma direção, um prazo e principalmente um objetivo financeiro. A determinação para conseguir algo é essencial nesta trajetória, organize-se para que suas metas sejam cumpridas em 2016. Se você deseja trocar de carro, financiar uma casa, trocar os filhos de escola, fazer cursos de capacitação, faça antes um planejamento e coloque o tempo que você irá executar todas as ações. Analise seu orçamento e veja como reorganizá-lo de forma a adquirir todos os objetivos no prazo estabelecido. Não faça nada por impulso, estude e verifique todas as possibilidades de dar certo ou errado. Nessas horas um consultor de finanças pode lhe ajudar na elaboração e execução do seu plano.

5 – Poupar é a melhor saída

Guardar dinheiro é muito complicado, ainda mais nos dias difíceis que os brasileiros estão passando, mas é preciso se atentar que se está ruim pode piorar ainda mais. Quem não se organizar não terá poupança. É a reserva de capital que permite que a pessoa enfrente situações emergenciais ou crises sazonais. Encare como compromisso a tarefa de guardar de 10% a 20% de sua receita mensal. Será difícil os primeiros 6 meses, mas você terá resultados satisfatórios no decorrer do ano. São os cortes que farão seu orçamento aumentar e suas receitas poderão lhe trazer bons “frutos” no decorrer do ano. Pense antes de agir, pois toda ação tem uma reação.

6 – Fuja das compras parceladas e endividamento

Todo final de ano as compras do Natal chegam amargas no primeiro mês do ano seguinte. Isso é desanimador para qualquer pessoa, mas você precisa pagar pelo que comprou e enquanto não quitar as dívidas feitas, não pense em fazer novas contas. Cartões de crédito, cheque especial, empréstimos representam ameaças para qualquer planejamento financeiro. As taxas de juros são maiores e a pessoa é seduzida pela facilidade em contrair mais e mais dívidas. No seu novo projeto de vida você deverá optar por compras à vista. Controle a ânsia de consumo, junte o dinheiro e adquira o produto ou serviço pagando de uma só vez. Isso aumenta o poder de barganha na hora da compra, permitindo descontos satisfatórios. Os financiamentos também precisam ser analisados, use apenas para situações especificas como a compra de um imóvel. Segundo economistas o momento para compra de imóveis é bom, mas para aqueles que obtêm parte da entrada ou compra a vista. Se você não se encaixa nos requisitos, o melhor é esperar e poupar o dinheiro da entrada para comprar futuramente.

7 – Disciplina é a palavra de ordem

Nenhuma das dicas anteriores funcionará se você não colocar em prática, mas para isso é preciso ter disciplina e organização. Seguir o planejamento é fundamental. As tentações de consumo surgem a todo instante e é preciso se manter permanentemente focado no objetivo financeiro. Busque ajuda profissional ou empresas que trabalham especificamente com planejamento de finanças, assim você terá mais motivação para continuar com seus objetivos, anote todos os gastos, até o cafezinho tomado fora de casa. Cada centavo poupado ajudará na sua construção financeira e pessoal. Ficamos desmotivados pela falta de recurso financeiro, isso nos impede de conseguir coisas que nos façam bem, seja para nossa autoestima ou para as pessoas que nos rodeiam, tenha determinação e foco nos seus sonhos.

Foto: Reprodução Internet