Adaptação escolar : um período desafiador para alunos e pais

volta-as-aulas-escola-alunos-colegio-ensino


Volta às Aulas – Ensino Educação – Sortimentos Comportamento

No geral, crianças até seis meses não sentem dificuldade com o período de adaptação escolar, porém, nas demais faixas etárias o processo pode ser desafiador para as famílias. Paciência, tolerância e bom-senso podem tornar a adaptação escolar um processo mais tranquilo.

Todo início de ano letivo é aquela alegria: compra do material escolar, ansiedade de retornar à escola, encontrar os colegas de classe e aprender novos conteúdos. Porém, nem só de euforia se vive esse momento. O início do ano letivo marca também a fase de adaptação de muitas crianças. Geralmente a adaptação escolar passa despercebida por crianças até seis meses de idade e, a partir daí, o período pode ser um desafio para pais e crianças.

A coordenadora pedagógica Daniela Zilz, que atua em escola particular em Porto Alegre, afirma que a adaptação de cada criança é diferente devido ao seu convívio externo. “Fatores como faixa etária e o convívio familiar das crianças podem ser determinantes para uma boa adaptação. Entretanto, cada caso é um caso. Ao se deparar com a nova rotina, cada uma reage de uma maneira. Choro e ansiedade são comportamentos comuns nessa fase”, explica.

Daniela ressalta que é importante que o adulto compreenda o que a criança esteja sentindo e as ajude a vencer esta etapa auxiliando-as e encorajando-as. “Paciência, tolerância e bom-senso podem tornar a adaptação escolar um processo mais tranquilo, minimizando sofrimentos desnecessários. Nenhuma mudança é fácil. Para a escola e seus profissionais também é um momento de desafios, pois há que se passar segurança e criar vínculos afetivos, antes de qualquer coisa e é claro que só serão alcançados pouco a pouco”.

A adaptação escolar dura cerca de três meses. Levar em conta escolas que vão de acordo com os costumes e valores da família é uma alternativa para que a criança não se sinta deslocada do que está habituada a viver. “Escolher uma instituição que fortaleça a relação entre família e escola é imprescindível para que a criança tenha uma boa adaptação. Além disso, a participação em atividades extraclasse é importante para que o aluno se integre ao grupo de colegas e profissionais da escola que frequenta”, relata.

De um modo geral, há duas fases de adaptação escolar: a primeira, quando a criança passa a frequentar pela primeira vez uma escola, ainda bebê, na maioria das vezes, no fim da licença maternidade da mãe. E a segunda, ao passar da Educação Infantil para o Ensino Fundamental. “No geral, as crianças sentem um impacto maior na adaptação ao passar da Educação Infantil para o 1º ano do Ensino Fundamental por fatores sociais: acostumar-se com um novo ambiente e pessoas, participar de processos avaliativos e gerir mais de uma disciplina”, conclui Daniela.