Síndrome do coração partido : namorados também sofrem do coração

Síndrome do coração partido : namorados também sofrem do coração

As doenças do coração têm forte relação com as emoções, como oscilações de pressão arterial, arritmias cardíacas e até infarto do miocárdio, afirma cardiologista

Com a chegada do Dia dos Namorados, crescem a angústia, a ansiedade e as fortes emoções. Nessa época, a maioria das pessoas quer ostentar um relacionamento. Não raro é ver reclamações, brincadeiras e até mesmo piadas, que muitas vezes disfarçam o sofrimento e problemas emocionais que podem ser fatais ao coração.

As doenças do coração têm forte relação com as emoções, como oscilações de pressão arterial, arritmias cardíacas e até infarto do miocárdio. Pessoas que têm depressão podem ter até três vezes mais chance de um infarto.

De acordo com o cardiologista e diretor da Sociedade de Cardiologia de São Paulo (SOCESP) José Luis Aziz, “fortes emoções certamente podem levar ao infarto e morte súbita. A síndrome do coração partido, que acomete principalmente mulheres, mimetiza o infarto, mas não tem o entupimento das artérias coronárias por ateroscleroses”.

Segundo Aziz, importante é ter cautela e controlar o coração, preparando-o para fortes emoções.

Síndrome do Coração Partido
Desconhecida, até mesmo entre a classe médica, a Síndrome do Coração Partido, que foi diagnosticada pela primeira vez por profissionais de medicina do Japão, acomete especialmente mulheres a partir dos 55 anos de idade, que estão na pós-menopausa. A maioria acredita que está tendo um infarto. Os sintomas são parecidos, como dor no peito, queda de pressão e desmaio. No entanto, na maioria dos casos a pessoa não tem sequelas e sofre com os hormônios relacionados ao estresse, ocasionados por uma forte emoção de origem negativa ou positiva, que atrapalha o funcionamento do coração.

-- --