Estação Campos de Canella nova atração une história, gastronomia e comércio

Estação Campos de Canella - Locomotiva Le Meuse - Foto Cleiton Thiele
Estação Campos de Canella – Locomotiva Le Meuse – Foto Cleiton Thiele

Estação Campos de Canella

Antiga ferroviária em Canela, na Serra Gaúcha, abriga locomotiva revitalizada e vira ponto turístico com centro gastronômico e comercial

A Estação Campos de Canella, mais novo empreendimento e ponto turístico no centro de Canela, na Serra Gaúcha foi inaugurado na quarta-feira (30.01.19), em dois momentos : 19h, solenidade para autoridades e convidados e na sequência, às 21h, um espetáculo aberto ao público criado especialmente para a ocasião pela DArte, de Canela. A abertura integra a conclusão da primeira etapa do projeto, um ano e dois meses após do início das obras de revitalização da área da antiga Estação Férrea de Canela e da locomotiva La Meuse referências históricas e de profundas raízes culturais no desenvolvimento da cidade. O editor de sortimentos.com, Fábio Juchen, viajou a convite da Prefeitura Municipal de Canela e da Novalternativa para acompanhar o evento de inauguração e conhecer as operações comerciais no local. 

Inauguração
Os canelenses esperaram mais de quatro décadas para ter de volta grandes orgulhos da cidade: a estação férrea e a locomotiva La Meuse, agora totalmente revitalizadas. Para a comunidade, o espaço, inaugurado na década de 20 do século passado, é o símbolo do progresso e do desenvolvimento econômico do município. Os trilhos facilitaram o escoamento da produção de madeira e, posteriormente, o transporte de passageiros.

A noite foi marcada por muita emoção. Intervenções artísticas aconteceram simultaneamente em múltiplos palcos, levando a plateia para dentro do espetáculo que contou a história da Estação e da intima relação com a cidade. A criação e produção do show ficou por conta da D’arte Multiarte, empresa com know-how em construir sonhos a partir da mistura de música, dança, circo, teatro e tecnologias, mas, que dessa vez, assumiu uma responsabilidade ainda maior: contar a trajetória da própria família.

A sócia e diretora artística do espetáculo, Lisiane Urbani, mergulhou nas conversas com primos e tios para resgatar a vida de Benito Urbani, o tio que dedicou à vida ao amor às máquinas a vapor. Benito foi proprietário da única oficina da região que consertava locomotivas e é o inspirador do parque Mundo a Vapor, sócio do empreendimento no que diz respeito à recuperação do prédio e da máquina. “Quando começamos a pensar na apresentação, me dei conta que a família sempre foi fora da caixa, visionária, assim como o João Corrêa, o fundador da cidade. Procuramos falar sobre o passado, o presente, mas sempre planejando o futuro. Da mesma forma que a estação mudou a cidade, a renovação também é um recomeço”. O Largo da Fama Benito Urbani é uma homenagem a esta figura ímpar. A diretora geral do Mundo a Vapor, Lenise Urbani Travi, lembrou que a chegada do trem revolucionou a região. “Hoje também estamos fazendo história, unindo as pessoas do passado, com a experiência do presente e a esperança no futuro”. O diretor comercial do parque, Carlos Alfredo Schaffer, pontua que a intenção é tornar o complexo um destino para os turistas, não apenas uma passagem pela cidade.

“Há alguns anos, olhamos para o lado e encontramos uma estação que estava liquidada, uma locomotiva que precisava de socorro e uma região que necessitava de amparo. Nós encaramos o desafio”, avaliou Fernando Bassani diretor da
Novalternativa, incorporadora que desenvolveu e executou o projeto. “É uma grande realização poder entregar um espaço tão importante para a cidade. Tudo surgiu daqui, é um ícone. Para nós, o sentimento é muito diferente, é a possibilidade de continuar a fazer com que fique cada vez melhor e maior. Esse é o nosso desafio”, completou.

A expectativa entre os moradores da Região é grande. O casal Adriano Weber e Heloisa Kohler mora em Canela há 12 anos e desejava ver o trem melhor cuidado. “quando nós viemos para cá, olhávamos o trem e achávamos uma tristeza. A gente tinha o sentimento de ver um patrimônio se perdendo, se deteriorando, sendo mal aproveitado. E agora tudo está revitalizado”, completam felizes.

A região serrana, que tem no turismo sua principal fonte de receita, comemora um novo ponto para receber os visitantes. Andrea de Morais e Afonso Kelbouscas, operadores de turismo, torciam para mais um empreendimento. “Tudo aqui estava abandonado e agora será um incremento para a renda e vai movimentar a economia”, avaliam.

A cidade não poderia ter recebido melhor essa iniciativa. Para o prefeito Constantino Orsolin é um orgulho para o povo de Canela, um resgate da história de uma época. “Muita gente fez a vida através deste trem, muita família foi sustentada por ele. Uma história riquíssima que estava em decadência absoluta”.

Estação Campos de Canella
O complexo Estação Campos de Canella resgata a história da fundação da cidade de Canela e sua relação com trens e trilhos com o Memorial do Trem. Além disso, o inédito e ousado projeto contempla espaços de cultura, entretenimento e um centro de gastronomia com pubs, cervejarias, restaurantes, cave de vinhos com produtos locais, além de quiosques comerciais, propiciando espaços variados para maior permanência do residente e do turista no local. As primeiras operações abrem na quinta-feira (31.01.19), a partir das 11h : Alpen Park, Casa da Velha Bruxa, Férreo – Restaurante e Fiambreria, Florybal Chocolates, Mundo a Vapor ( fotos antigas e souvenirs) e SG Facas Artesanais. Quando finalizado, o projeto terá 5,9 mil metros quadrados com 42 espaços comerciais, e deve ser finalizado até julho de 2020. Com o início das operações das primeiras marcas, e a manutenção da mão de obra para a conclusão do empreendimento, o número de empregos diretos na Estação gira em torno de 300.

FUNCIONAMENTO ESTAÇÃO CAMPOS DE CANELLA
:: Fevereiro: lojas das 10h às 22h / restaurantes 11h às 22h
:: A partir de Março: lojas das 10h às 22h / restaurantes 11h às 00h


PARCERIA PÚBLICO-PRIVADA

Destacando a Parceria Público-Privada (PPP) firmada para o empreendimento, o prefeito Constantino Orsolin recupera a história do local, “Estou muito agradecido de recuperarem a importância histórica que esse trem representa. Em 1924, quando Canela recebeu a Estação Férrea muita gente ganhou a vida e passou a sustentar a família através do trem e dos negócios que ele possibilitou”. E completou Orsolin, “Quando o poder público e a iniciativa privada têm coragem e determinação para transformar a história, as coisas acontecem”.

.

Fabio Juchen (editor de sortimentos ) e a Locomotiva Le Meuse antes da revitalização
Fabio Juchen (editor de sortimentos ) e a Locomotiva Le Meuse antes da revitalização

.

INÍCIO DAS OPERAÇÕES
A segunda etapa da Estação Campos de Canella é a abertura oficial do empreendimento, com o início de algumas das operações já confirmadas. A etapa final é a conclusão do projeto, onde, entre outras atrações será inaugurado o Memorial do Trem, que ocupará o subsolo da Estação e está projetado dentro dos mais modernos conceitos de memoriais interativos da atualidade, tendo como foco recontar a história de Canela em um passeio divertido, cheio de informação e cultura.

“Estar na Estação é uma oportunidade para nós que investimos e acreditamos no potencial turístico e gastronômico de Canela. Como já atuamos no segmento da alimentação sabemos que existe uma demanda a atender, e um empreendimento como este, certamente, amplia as possibilidades na cidade e na região” comenta Alan Erthal, um dos sócios no Férreo Restaurante e Fiambreria, que passa a receber público dia 31 de janeiro.

Com a responsabilidade de quem tem no sangue um dos maiores conhecedores de trens e trilhos da cidade, a diretora do Mundo a Vapor, Caren Urbani, afirma que a reformulação e o novo uso do espaço trazem uma nova perspectiva de progresso e empreendedorismo para Canela. “Está no DNA do Mundo a Vapor a força do ferro, a sinergia, o movimento, a invenção e a inovação, para nós é um orgulho poder fazer parte desta história que começa a ser reescrita”, destaca.

.

Estacao Campos de Canella Locomotiva Le Meuse - Cleiton Thiele
.

REVITALIZAÇÃO DA ESTAÇÃO FÉRREA E LOCOMOTIVA
A primeira etapa do empreendimento foi realizada entre novembro de 2017 e dezembro de 2018. Além de obras estruturais, o trabalho foi concentrado no processo de revitalização da locomotiva La Meuse, que por mais de 40 anos ficou parada nos trilhos ao lado do prédio da antiga Estação Férrea, que também passou por reformas. No entorno da área foi criado o Largo da Fama Benito Urbani, em homenagem ao idealizador do Mundo a Vapor, primeiro parque temático da região em 1991.

Realizado pela Incorporadora Novalternativa, tendo na sociedade do projeto o Parque Mundo a Vapor – em tudo que diz respeito a trens e trilhos – a Estação Campos de Canella reúne espaços de cultura e entretenimento, quiosques comerciais, área residencial e um centro de gastronomia com pubs, cervejaria e restaurantes para os mais variados gostos.

“Trabalhamos dentro de avançados conceitos de urbanismo e paisagismo, totalmente alinhados com a estética de Canela, para funcionar em todas as estações do ano. Tudo foi pensado de forma muito integrada, um projeto ligado ao passado, mas com fôlego de futuro, como há muito tempo a cidade espera”, comenta o diretor da Novalternativa, responsável pelo projeto e construção do empreendimento, Fernando Bassani.

.

Estação Campos de Canella em Canela na Serra Gaúcha
Estação Campos de Canella em Canela na Serra Gaúcha.

.

Locomotiva Le Meuse, que estava desativada há 40 anos está de volta à Canela
A locomotiva que partiu escoltada de Taquara, onde foi revitalizada, chegou na tarde de quinta-feira (06.12.18) em grande estilo em frente ao Parque Mundo a Vapor (Av. Don Luiz Guanella, 1247), em Canela. O maquinário foi pelo corpo de bombeiros e pela comunidade. Já no centro da cidade, a locomotiva foi era esperada por autoridades, parceiros do empreendimento e alunos das escolas Dante Bertolucci e Coopec que estudaram a importância da estação férrea em projeto realizado pela Secretaria de Educação.

.

Locomotiva Le Meuse Estacao Campos de Canella
Locomotiva Le Meuse Estação retornando à Canela / RS – Foto Cleiton Thiele

.

Revitalização e importância
A histórica locomotiva La Meuse, classe 0-6-0, fabricada na Bélgica em 1909, ficou um ano em processo de renovação realizado pela empresa MKR em Taquara (RS). Agora ela deverá ser eternizada no ponto onde funcionou por quase 50 anos e que foi fundamental na formação da cidade.

“Como a locomotiva ficou anos exposta ao tempo e sem nenhum cuidado ou manutenção, a estrutura estava muito deteriorada. Tivemos que reconstruir e forjar muitas peças que não existem mais para reposição. Quem visita-la agora vai ver detalhes que não eram mais percebidos. Com certeza será uma grande atração!”, comentam com orgulho Antônio Carlos Teixeira de Souza Júnior e Márcio Roberto Krummenauer, que trabalharam na La Meuse.

Para trabalhar a questão temática de trens e trilhos, revitalização da locomotiva e o significado do trem na fundação e no desenvolvimento de Canela, a Novalternativa buscou o know how de quem entende muito do assunto: o parque temático Mundo a Vapor. “Assim como nos anos 20, o trem trouxe o progresso para o que hoje é a cidade de Canela. O retorno da locomotiva traz uma nova perspectiva de progresso e empreendedorismo. É como se fosse um divisor de águas, e ao mesmo tempo um resgate histórico, que busca valorizar o nosso passado e utilizá-lo como base para um futuro promissor. Está no DNA do Mundo a Vapor a força do ferro, a sinergia, o movimento, a invenção e a inovação, então, para nós, é um orgulho poder fazer parte desta história que começa a ser reescrita”, afirma a diretora Caren Urbani.

.

Estação Campos de Canella em Canela na Serra Gaúcha
Locomotiva La Meuse na Estação Campos de Canella
 
 
.