Saúde – Nefrologista alerta para a prevenção da doença renal desde a infância

saude-doenca-renal

As crianças têm risco de desenvolver a doença renal desde o período gestacional – daí a importância de medidas preventivas. A doença renal crônica é silenciosa, assintomática e, por isso mesmo, poucos estudos quantificam sua prevalência na população infantil. Por este motivo, o Dia Mundial do Rim, celebrado no dia 10 de março, tem como objetivo alertar sobre as medidas de prevenção das doenças renais na população infantil.

Tanto nos casos de crianças sem histórico como naqueles com fatores de risco, o mais importante é garantir hábitos saudáveis para que eles se tornem adultos com mais qualidade de vida. Nesse caso, os pais devem ficar atentos a uma lista de prioridades como: alimentação equilibrada, evitar o excesso de sal, praticar atividades físicas com controle de peso, bem como o controle da pressão arterial. “A pressão arterial também deve ser aferida pelo menos uma vez ao ano em crianças. Os pais costumam estranhar esse tipo de prevenção, mas é necessário especialmente nos dias atuais, em que as crianças têm hábitos pouco saudáveis”, alerta a nefrologista Leda Lotaif.

De acordo com a nefrologista, as recomendações para evitar as doenças dos rins incluem desde hábitos alimentares saudáveis até ingestão de 2 litros de água diariamente, além do controle da taxa de açúcar no sangue, principalmente se for diabético ou tiver antecedente familiar. “É importante, também, não tomar medicamentos sem orientação médica e avaliar regularmente a função dos rins com exame de sangue (creatinina) e urina em pacientes com pré-diabetes ou diabetes, hipertensão arterial, obesidade, doença cardiovascular e histórico de doença renal crônica na família”, explica a nefrologista.

A doença renal afeta milhões de pessoas no mundo, incluindo muitas crianças que podem estar sob risco já em idade precoce. Portanto, é importante orientarmos como detectar a doença e promover um estilo de vida saudável na infância pois muitas doenças dos rins podem ser prevenidas e outras tratadas.

Sinais de alerta: alguns sintomas podem sinalizar a possibilidade da criança ter uma doença renal. Os pais ou cuidadores precisam ficar atentos e, na dúvida, procurar um pediatra caso a criança:

  • tenha histórico de doença renal na família;
  • fique muito tempo sem urinar;
  • apresente sangramento na urina;
  • tenha jatos urinários fracos;
  • apresente episódios recorrentes de infecção urinária;
  • tenha inchaço no corpo;
  • apresente déficit ou atraso no crescimento;

Alimente-se de forma saudável e mantenha o peso ideal para a sua altura: isso pode prevenir o diabetes, doenças cardíacas e outras condições associadas com a doença renal crônica.

Reduza a ingestão de sal. A dose recomendada de sódio é de 5 a 6 gramas de sal por dia (equivalente a uma colher de chá rasa).

Para tentar diminuir a quantidade de sal procure evitar alimentos industrializados ou processados.

Beba água: o ideal é ingerir de 1,5 a 2 litros de água por dia. Isso ajuda os rins a se livrarem do sódio, ureia e toxinas do corpo e reduz a chance de desenvolver doença renal crônica.

Lembre-se que a quantidade certa de líquidos varia para cada pessoa, exercício, clima, condição de saúde, gravidez e amamentação. Já as pessoas que tiveram cálculo renal precisam ingerir de 2 a 3 litros de água por dia para diminuir a chance de formar um novo cálculo.

Não fume: o fumo reduz o fluxo do sangue para os rins. Quanto menos sangue chegar nos rins isso impede que eles trabalhem direito. O tabagismo também aumenta o risco de câncer renal em 50%.

Controle o açúcar do sangue: metade das pessoas que têm diabetes vai sofrer de doença nos rins. Então é importante para quem é diabético fazer exames de sangue (creatinina) e urina (albumina ou proteína) para checar o funcionamento dos rins.

Controle a sua pressão: a pressão alta pode provocar derrame ou ataque cardíaco, mas poucos sabem que é uma das principais causas de doença nos rins. A pressão normal é 120/80.

Foto: Divulgação

-- --