Saúde – Horário de verão exige cuidado redobrado com o sol

saude-pele-cuidados-sol-protetor-solar-sortimentos-foto-reproducao-internet-600x350-1

Ah… o horário de verão! Apesar de alguns problemas de adaptação, muitas pessoas aproveitam a oportunidade para curtir mais a vida, devido ao dias serem mais longos pelo adiantamento do relógio. Isso inclui idas mais frequentes a clubes, praias e restaurantes ao ar livre. Mas o que as pessoas não podem esquecer é que o cuidado com o sol merece uma atenção mais do que especial nesta época do ano.

Recomendado por dermatologistas durante o ano todo, a exposição solar precisa ser evitada durante o horário de verão, principalmente, no período entre os horários de 10h às 17h. É imperativo que não se iludam em função do adiantamento da hora e relaxem ao pensar que a irradiação solar está mais fraca neste trecho do dia.

“Em um país tropical, como o Brasil, se deve ter cuidado com a irradiação solar durante o ano todo. Durante o verão, no entanto, é importante reforçar essa necessidade porque é um período em que a população fica ainda mais exposta aos raios UVB, que deixa a pele vermelha, podendo aumentar o índice de queimaduras e também o risco de câncer de pele”, – explica a coordenadora do departamento de Cosmiatria da Sociedade de Dermatologia do Rio de Janeiro, Mônica Azulay.

O uso diário do filtro solar é importantíssimo para garantir os cuidados com a saúde da pele. Ele deve ser um amigo fiel durante o ano todo e principalmente no verão. Para melhor eficácia e absorção, o indicado é passá-lo pelo menos 15 minutos antes da exposição ao sol, no corpo todo, antes de vestir a roupa. “O produto precisa ser reaplicado depois de uma hora e meia, pois é o período de proteção de uma camada de filtro.  De qualquer forma, é importante ter a consciência que o filtro solar não é, de forma nenhuma, um passaporte para a exposição indiscriminada ao sol. Ou seja, não é porque você passou um bom filtro solar que você pode ficar exposta ao sol horas após horas e que isso não causará danos a sua saúde. O cuidado com a exposição deve ser permanente, principalmente, se a pessoa tiver uma pele mais clara”, recomenda a dermatologista.

Outra dica da especialista diz respeito a escolha do filtro solar. A dermatologista alerta que é um erro considerar somente o número do fator de proteção solar (FPS) na hora de optar por um produto em detrimento a outro. Ela explica que a medida informa sobre a proteção à radiação UVB, mas que os riscos a exposição aos raios UVA não devem ser subestimados.

“Não basta ter um FPS alto para ser um bom filtro. É importante que o filtro solar tenha também um amplo espectro. É fundamental que o filtro proteja tanto dos raios UVB quanto dos raios UVA. Por isso, o ideal é que um dermatologista indique qual filtro tem a proporção ideal de proteção para cada caso. Infelizmente, é um erro muito comum acreditar que indo na farmácia e comprando um filtro com FPS alto a pessoa vai ficar protegida”, esclarece Mônica.

Além do filtro, utilizar roupas de algodão é essencial, pois retêm cerca de 90% das radiações UV, ao contrário dos tecidos sintéticos, como nylon, que retêm 30%. Usar chapéus com tecidos que possuem fator proteção também é um aliado na proteção da pele. As barracas de praia precisam ser de algodão ou lona. Muito mais do que estilo, os óculos de sol previnem cataratas e lesões na córnea.

-- --