São Paulo – Argentinos dominam Fan Fest SP e lamentam contusão de Neymar

SÃO PAULO - torcida argentina

 

 

Há fatos que superam qualquer desavença ou rivalidade. Foi o caso da lesão de Neymar na sexta-feira, quase no final da partida contra a Colômbia. Os torcedores da Argentina poderiam comemorar o fato de o Brasil ter perdido seu principal jogador para o resto da Copa do Mundo. Não é isso o que ocorre.     “É uma pena. Sinto muito pelos brasileiros. A Copa do Mundo não vai ser a mesma”, lamentou Sabrina Alderete, que sonha em uma final entre Argentina e Brasil, no Maracanã. “Mas se não for nesta Copa, Messi e Neymar irão se enfrentar na próxima”, acrescenta ela, que foi até a Fan Fest, no Vale do Anhangabaú, em São Paulo/SP, acompanhar o confronto de sua seleção com a Bélgica, pelas quartas de final.     “Foi uma pena o que aconteceu com o Neymar. Ele não merecia sair da Copa deste jeito”, afirmou Agustin Roldán, de Buenos Aires, que mesmo assim acredita que os arquirrivais serão os adversários na decisão do título.

 

SÃO PAULO - torcida argentina - 1

 

 

“O Brasil, para mim, tem a melhor defesa. Nós temos o melhor ataque. Vai ser uma grande partida”, afirmou. “Espero que ganhe a Argentina. Mas nem sempre ganha o melhor. Foi o que aconteceu no Maracanazo [derrota do Brasil para o Uruguai na Copa de 1950]”, comenta.   Dominantes:   Como tem sido usual em dias de jogos do time de Lionel Messi, os argentinos tomaram conta da Fan Fest. O grupo, dominante no espaço para 25 mil pessoas, se concentrou mais próximo ao telão, embalado pelo cântico que relembra a vitória sobre o Brasil na Copa de 1990. Trajados com a camisa listrada de azul e branco e com bandeiras e faixas, eles não deixaram de provocar os brasileiros ali perto, que longe de partir para a briga, se contagiavam pela animação dos hermanos. Alguns pulavam com a bandeira do Brasil e não se intimidavam em falar que “Maradona é maior do que Pelé”.

 

 

A grande expectativa, na verdade, é superar uma boa recordação de 24 anos atrás. De lá para cá, os argentinos não ganharam mais nenhuma Copa e, até este sábado, nunca mais tinham retornado a uma semifinal. Nos mesmos 24 anos, viram o Brasil acumular mais dois títulos mundiais (1994 e 2002), além de ter participado de mais uma final (1998). “Seria sensacional ganhar o título no Brasil”, afirma Roldán, cuja seleção enfrentou outro jogo difícil nesta Copa.

 

Crédito das fotos: Getty Images

-- --