Projetos com fachadas de vidro fornecem modernidade e conceitos sustentáveis à construção

projetos-vidro-arquitetonico-1

 

Além de oferecer um visual moderno e luxuoso, o uso do vidro como material de fechamento (parede externa) tem também outros benefícios. O principal deles é o aproveitamento da luz natural, fornecendo ao ambiente conceitos sustentáveis e econômicos, principalmente em locais onde as pessoas permanecem por mais tempo, como no trabalho. Porém, para um eficiente uso do vidro como substituto de uma parede de alvenaria, por exemplo, o projeto deve contemplar cuidados para que a construção não resulte em um problema.

O arquiteto Ricardo Alberti, sócio do escritório CASACINCO, explica que além da maximização da luz natural, uma parede de vidro fornece maior comunicação com o visual exterior. “Isso permite que a natureza que cerca um determinado edifício faça parte do ambiente interno, proporcionando maior amplidão e harmonia com o espaço do entorno”, exemplifica. Se a região onde um edifício se localiza tem potenciais de aproveitamento da paisagem, o uso do vidro também pode ser uma boa alternativa. Agora se ele faz divisa com outro edifício muito próximo, não há motivo para utilizar este artifício, visto que a luz natural não será um diferencial e a falta de privacidade também pode ser um problema.

O uso do vidro como material de fechamento exige cuidado no controle de insolação natural. Deve haver preocupação em utilizar vidros especiais de proteção solar. “A indústria dispõe de uma grande gama de tipos de vidros que cobrem um grande espectro de níveis para isso. Outra hipótese é a instalação de brises, um sistema que bloqueia a luz direta. O modelo do brise pode variar de acordo com as questões estéticas e econômicas do projeto”, explica Alberti. Como vivemos no hemisfério sul, o mais indicado é usar maior quantidade de vidro na fachada sul da construção, já que é um lado com menor incidência de luz direta.

projetos-vidro-arquitetonico-2

Dois problemas do vidro como forma de fechamento é que ele não tem bom desempenho acústico e faz o ambiente perder calor mais rapidamente. Para minimizar estes empecilhos o projeto pode contemplar algumas soluções, como a fachada dupla. Um dos vidros serve para a vedação em si e o outro protege o ambiente das diferentes temperaturas (interna e externa). Na Europa, onde o clima costuma ser mais extremo, é utilizado com frequência o sistema de envelopamento, onde no meio dos dois vidros há um “colchão de ar”, responsável pelo controle da temperatura interna.

Para uma maior resistência do vidro existe um processo industrial chamado têmpera, da qual ele passa por altas temperaturas que o deixam mais forte. Eles também podem ser montados com PVB (Poli Vinil Butiral), resina em película instalada também por processo industrial que fornece maior durabilidade ao vidro, alguns resistentes até a tiro.

Ter uma parede externa de vidro melhora o aspecto visual da obra mas também exige maior gasto na construção. Ele pode custar até três vezes mais que uma parede de alvenaria.