Filhos gastarão menos no Dia dos Pais 2016 conforme pesquisas da Fecomércio MG

presente dia dos pais

Tíquete médio do presente do Dia dos Pais não ultrapassará os R$ 100 para 68,2% dos consumidores de Belo Horizonte, revela pesquisa da Fecomércio MG.

O Dia dos Pais 2016, que será em 14 de agosto, marca a abertura das datas comemorativas do segundo semestre. Apesar de ainda haver certa cautela dos consumidores, os empresários de Belo Horizonte estão otimistas em relação ao período, uma vez que a data gera um impacto positivo para mais da metade (51,4%) do comércio varejista, em diversos segmentos, de acordo com pesquisa elaborada pela Fecomércio MG. Além disso, existe o apelo afetivo, que faz com que as pessoas, apesar de optarem por presentes de menor valor, não deixem de comprá-los. Por isso, cerca de 40% dos consumidores afirmaram que vão procurar um produto mais barato que aquele adquirido em 2015. E 68,2% pretendem gastar menos de R$ 100, contra 25,1% que ficaram restritos a essa faixa de preço no ano passado.

Nessa perspectiva, o cenário econômico continua sendo o principal desestímulo para os clientes, que ainda sentem os impactos da inflação elevada e do crescimento do desemprego no país. “Essa situação deixa o consumidor sem recursos e desmotivado. Os preços elevados e outros fatores de redução do poder de compra são grandes limitadores. No entanto, já é possível sentir uma recuperação na economia, e um número expressivo de pessoas vai presentear os pais”, argumenta a analista de pesquisa da Federação, Elisa Castro. De acordo com o estudo da entidade, quase 45% dos entrevistados pretendem ir às compras. Em 2015, eram 50,1%.

As promoções e liquidações serão o grande atrativo para 70,9% dos entrevistados, sendo que boa parte deles (42,5%) deixará para escolher o produto somente na semana do Dia dos Pais. Os shoppings centers (38,2%) e as lojas do hipercentro (35,9%) receberão a maioria do público. Já a lista de artigos mais procurados inclui roupas (36,9%), calçados (12,8%) e itens de perfumaria (11,2%).

Para os empresários, há otimismo: 74,5% estão confiantes em vendas melhores ou iguais às do ano passado, conforme a pesquisa da Fecomércio MG. “Principalmente porque a data coincide com as liquidações de inverno, que acabam sendo um chamariz ainda maior para os clientes. Além disso, o segundo semestre, tradicionalmente, é melhor que o primeiro por causa de datas comemorativas como Natal e o Dia das Crianças, e a Black Friday”, completa Elisa. Para melhorar o desempenho no período, 69,9% dos donos de estabelecimentos vão investir em promoções e liquidações, e 13,8%, em propaganda.

-- --