Ponto de Cultura Solar do IAB RS apresenta exposição de artistas contemporâneos

Obra Silvia Aita
Obra Silvia Aita

O Ponto de Cultura Solar do IAB RS – Instituto de Arquitetos do Brasil ( Rua General Canabarro nº 363, no Centro Histórico ), em Porto Alegre / RS, sedia de 14 de setembro a 14 de outubro de 2016, das 14 às 20h, de segunda à sexta-feira, quatro exposições de artes visuais selecionadas em edital. A entrada é franca.

Na área externa do Solar do IAB RS, o artista Ricardo Cardoso apresenta a mostra “26″, com obras de forma pura, sem adornos ou enfeites, tendo como ponto central a proporção e a estabilidade que se intercruzam na gramática das formas. A instalação específica de Ricardo dialoga com a edificação do Solar do IAB, enquadrando-o de maneira a ressignificar o ambiente construído. Essa pureza geométrica abre a possibilidade de a obra mostrar sua fração interior. Evidencia-se sua finitude, mas ao mesmo tempo deixa trespassar olhares estimulados pelo contraste dos materiais, agora inseridos no universo contemporâneo.

Na Sala Negra, o público poderá conferir a mostra “Projetos Demarcatórios”, do artista Roberto Chagas, que veio de Santa Maria (RS). “Minhas esculturas propõem um diálogo entre território e temporalidade, pois demarcar o espaço exige tempo. Cada uma das peças apresentadas nesse conjunto corresponde a uma investigação formal que poderá vir a ocupar o espaço público em uma outra dimensão”, explica o artista. A pedra, a madeira e o metal atravessam-se na composição e sofrem, da mão do escultor, uma aceleração da ação do tempo, embora apenas na superfície do metal se possa perceber. Algumas das obras já ocupam seu espaço em praças e parques de cidades como Valdívia, no Chile; e Ayia Napa, no Chipre e Rio de Janeiro.

A Sala Anexa abrigará a exposição coletiva “Papier Mâchè – Cho Dorneles & Alunas”. Participam os artistas Cho Dorneles (org.), Graça Hund, Jaque Pauletti, Madalena Fuke, Nora Boher, Rejane Wagner, Sandra kravetz, Silvia Aita, Suzana Albano, Tereza Albano, Valéria Soviero e Vera Dall’onder. “Muitos artistas que, até bem recentemente, se dedicavam predominantemente à cerâmica, à escultura, à pintura ou mesmo às instalações, têm cedido ao fascínio do flexível do Papel Maché”, observa Cho Dorneles, organizador da mostra. As obras do grupo apresentam a leveza e resistência proporcionada por este material. A facilidade com que se pode prepará-lo para trabalhar e a sua imensa versatilidade, proporcionou grandes possibilidades para o desenvolvimento de ideias e projetos do grupo de artistas. Assim, esta exposição é o resultado do trabalho orientado por Cho Dorneles, que vem sendo realizado por três grupos distintos, pela primeira vez reunidos, para mostrar em conjunto suas obras.

Já a Sala do Arco receberá a mostra “O Jardim Secreto de Adriana Giora” com curadoria de Letícia Lau. Adriana Giora preparou para esta exposição 3000 peças em cerâmica para sua instalação que tomará conta de todo o espaço, transformando-a em um jardim. O tema se refere ao jardim como espaço privativo simbolizando os sonhos e um refúgio. “Com uma população cada vez mais urbana e as pessoas mais distanciadas da natureza, o espaço de um jardim privado é um bem cada vez mais precioso”, destaca a artista. Segundo ela, a ideia não é criar um simulacro da realidade, mas transpor para a linguagem artística, dentro da poética da artista, um lugar para apreciar, circular e refletir sobre nossas ações perante a natureza.

Mais informações: (51) 3212.2552

-- --