Pesquisa da Ipsos revela que saúde é a principal preocupação mundial

saude-medico-pesquisa-doutor

Reconhecido por ser um dos maiores institutos de pesquisa do mundo, a Ipsos acaba de apresentar o resultado de um estudo realizado em 24 países que aponta que a saúde é a principal preocupação global. Os dados levantados apontam que cerca de um em cada quatro entrevistados (23%) identificou a saúde como um dos pontos mais preocupantes em seu país.

Outro fator de destaque desse levantamento, é que o Brasil aparece na frente com 64% quando o assunto é preocupação com a saúde, logo atrás vem a Polônia (58%), Canadá (40%), Estados Unidos (37%), Austrália (35%), Hungria (30%), Rússia (27%), Arábia Saudita (27%) e Grã Bretanha (27%).

Os mais propensos a classificar a saúde como uma das questões mais preocupantes do seu país, possuem nível médio de escolaridade (26%), têm entre 50-64 anos (25%), mulheres (24%) e aqueles com nível médio de renda familiar (23%). Já aqueles com alto nível de educação (17%), renda familiar alta (18%), homens (19%), menores de 35 anos (20%), baixa escolaridade (21%), aqueles com idade entre 35 -49 (22%) e aqueles com renda familiar baixa (22%) são os menos propensos a se preocuparem com a saúde.

“Melhorias na saúde sempre estiveram entre as principais demandas do brasileiro, falta de médicos, filas, dificuldade de marcar exames, sempre apareceram entre os principais problemas do país. A novidade agora é que existe uma nova classe média que, ao contrário da tradicional, não acha que seja natural pagar por serviços públicos que até ontem recebia de graça. Este novo Brasil que cresceu e enriqueceu não quer ver seu esforço se esvair em planos de saúde e escolas particulares, como fazem sem preocupação os de renda mais alta e como aceitam sem reclamação os de renda mais baixa”, afirma Dorival Mata Machado, managing director da Ipsos Public Affairs.

Logo atrás da saúde, os entrevistados apontaram o desemprego (45%), a corrupção (35%), a pobreza (34%) e a violência (31%) como outras grandes preocupações. No Brasil as inquietações que mais se destacam são: Saúde (64%), violência (55%), educação (42%), corrupção (36%), pobreza (24%), desemprego (12%) e a inflação (12%).

Esse estudo, intitulado Global @dvisor, vem acompanhando desde 2010 as principais preocupações da população em 24 países. Este relatório é o primeiro de uma série bi-anual promovido pela Ipsos Public Affairs – área específica da empresa que realiza pesquisas sobre questões sobre políticas públicas, atitudes e comportamentos dos cidadãos e consumidores no mundo.

O levantamento foi feito em abril de 2014 e contou com a participação de mais de 19 mil pessoas entre 18 e 64 anos de 24 países.