Crise no Brasil : Número de inadimplentes bate recorde histórico ao atingir 61 milhões

Dinheiro cedulas

 

Crise no Brasil : Número de inadimplentes bate recorde histórico. Entre abril e maio de 2017 cerca de 1 milhão de consumidores entraram na lista. O número divulgado reforça os indicadores econômicos negativos na gestão do Presidente Michel Miguel Elias Temer Lulia (PMDB). Além de envolvido em denúncias de corrupção e acordos com o judiciário de forma a atender através das reformas trabalhistas e previdenciárias os desejos de grupos de empresários e do sistema financeiro, a gestão do peemedebista com apoio dos ‘Tucanos’, não consegue ter popularidade e ações de reorganização da economia.

Com a incompetência na gestão política e econômica do país, no mês de maio de 2017, o número de consumidores inadimplentes no país chegou a 61 milhões, de acordo com o Indicador Serasa Experian de Inadimplência do Consumidor. Trata-se do maior número da série histórica desde 2012. Somente no mês de maio, cerca de 900 mil consumidores ingressaram no cadastro de inadimplência. Em maio do ano passado, eram 59,5 milhões de pessoas na lista. Segundo os economistas da Serasa, o desemprego e a recessão econômica são os principais motivos para os altos índices de inadimplência no país.

O ingresso e a manutenção do nome nos cadastros de proteção, além de restringir diretamente o acesso ao crédito e desorganizar a vida financeira das famílias.

Confira dicas dos especialistas para sanear as contas atrasadas:
Ø Renegocie as dívidas de maneira que as novas parcelas da renegociação caibam no bolso e, somadas aos débitos já existentes (desconsiderando o imobiliário), não ultrapassem 20% da renda mensal.

Ø Prepare-se antes de renegociar: coloque na ponta do lápis todas as despesas fixas e as contas já assumidas ou previstas. Assim, é possível saber o quanto está disponível para pagar a nova dívida que será renegociada, escolhendo quais as condições e formas de pagamento que melhor se encaixam no orçamento.

Ø O consumidor inadimplente com direito ao resgate do FGTS deve utilizar ao menos parte do valor recebido para quitar dívidas pendentes.

Ø Use o crédito mais barato para pagar dívidas mais caras: um crédito consignado poderá ser a saída para as parcelas atrasadas do cartão de crédito ou do cheque especial, por exemplo.

-- --