Crise no Brasil 2017 : inadimplência atinge mais de 61 milhões de brasileiros, diz Serasa

Crise no Brasil 2017 : inadimplência

Inadimplência atinge mais de 61 milhões de brasileiros, diz Serasa. Apesar de grande parte da mídia envolvida na defesa e promoção da Reforma da Previdência divulgar uma pseudo melhora na economia, números revelam que a crise persiste. Segmento de Utilities, que contempla dívidas atrasadas de água, luz e gás, foi o principal responsável pela alta no mês.

Inadimplencia 2018 crise no Brasil

Crise no Brasil : Número de inadimplentes bate recorde histórico. Entre abril e maio de 2017 cerca de 1 milhão de consumidores entraram na lista. O número divulgado reforça os indicadores econômicos negativos na gestão do Presidente Michel Miguel Elias Temer Lulia (PMDB). Além de envolvido em denúncias de corrupção e acordos com o judiciário de forma a atender através das reformas trabalhista e previdenciária os desejos de grupos de empresários e do sistema financeiro, a gestão do peemedebista com apoio dos ‘Tucanos’, não consegue ter popularidade e ações de reorganização da economia.

Segundo estudo desenvolvido pela área de Decision Analytics da Serasa Experian, em novembro de 2017, o número de consumidores inadimplentes no país chegou a 61,1 milhões (confira o dado dos últimos meses na tabela abaixo). Na comparação com novembro de 2016, o aumento foi de 1,91%. O montante alcançado pelas dívidas foi de R$270,5 bilhões, com média de quatro dívidas por CPF, totalizando R$ 4.425,00 por pessoa. Apesar de as dívidas atrasadas com bancos e cartões de crédito terem a maior representatividade dentro do índice, a alta em novembro foi puxada pelo segmento de Utilities (água, luz e gás), que teve crescimento de 0,7 p.p em relação a outubro do mesmo ano.

A maior concentração dos negativados está no gênero masculino, que representa 50,9% dos inadimplentes. A maioria das pessoas com débitos vencidos tem entre 41 e 50 anos (19,6% do total). Em segundo lugar no ranking de participação entre os inadimplentes estão os jovens de 18 a 25 anos, que respondem por 14,4% do total.

Inadimplência concentrada na região Sudeste
Segundo o estudo, a região com maior percentual de pessoas com dívidas atrasadas é a Sudeste, com participação de 44,9%. Na sequência estão: Nordeste, com 25,3%, Sul, 12,7%, Norte, 8,8% e Centro-Oeste, 8,3%.

Booking.com