Orquestra de Câmara SESIMINAS celebra 30 anos com apresentação gratuita no Memorial Minas Gerais Vale

Orquestra de Câmara SESIMINAS - Foto Andreia Bueno
Orquestra de Câmara SESIMINAS – Foto Andreia Bueno

Na quinta-feira (05.05.16), às 19h30, a Orquestra de Câmara SESIMINAS celebra 30 anos, com apresentação gratuita no Memorial Minas Gerais Vale – no Circuito Liberdade ( Praça da Liberdade, 640, esq. Gonçalves Dias ), em Belo Horizonte / MG. Sob regência do maestro Marco Antônio Maia Drumond, os 20 integrantes prometem encantar o público no encontro que será realizado no auditório do museu, com repertório que traz de Mozart a Skank. A entrada é gratuita. Interessados devem retirar ingressos a partir das 18h, no local. O Memorial Vale fica na Praça da Liberdade, 640 – Funcionários, esquina com Rua Gonçalves Dias.

O programa é aberto com o “Galop”, de Jacques Offenbach, autor que dedicou sua obra à chamada música ligeira. A famosa dança francesa do “Can-can” ganhou deste autor a sua composição mais conhecida. Na sequência, o público ouve o primeiro movimento de um divertimento de Mozart. Trata-se de uma peça composta para ser tocada em saraus promovidos pelas cortes do século 18. Em seguida a orquestra chega com o Andante de Bach. Composta em sua forma original para violino solo, ela ganhou excelente adaptação para orquestra de arcos pelas mãos do músico alemão Leo Weiner. O repertório ainda inclui a execução do segundo movimento da Sinfonia de Câmara, do compositor russo do século 20, Dmitri Shostakovich; da Romanza Andaluza, que é uma obra romântica do compositor e violinista espanhol Pablo de Sarasate; do Prelúdio e Cantilena da Bachiana nº 5, de Villa-Lobos; e, encerrando o momento mais erudito, “Tempo de Maracatu”, do compositor brasileiro contemporâneo Ernani Aguiar.

A parte final do concerto é dedicada a obras mais conhecidas do público em geral. Os brasileiros Tom Jobim, Luiz Gonzaga e Skank se revezam com músicas conhecidas do repertório internacional como “Yesterday”, de Lennon e Mc Cartney; o tango “Por una cabeza”, de Carlos Gardel; e a famosa “Pantera Cor-de-rosa, de H. Mancini. Presente também neste repertório está um dos maiores sucessos de Sinatra: New York, New York, de John Kander.