Infectologista Elisa Maria Beirão orienta sobre a prevenção de doenças de outono

outono 201604

Durante todo o outono, a atenção deve ser redobrada em relação às doenças respiratórias. A dica é da infectologista Elisa Maria Beirão do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos,  em São Paulo / SP. “Muita gente não sabe, mas além da gripe, doenças simples que afetam o sistema respiratório, como o resfriado comum pode complicar e evoluir para casos mais graves de pneumonia e sinusite”, orienta.

O aumento de problemas de saúde nesse período tem como um dos motivos à condição climática, caracterizada por queda na temperatura. “Esse tempo frio e seco traz condições ideais para a proliferação de doenças respiratórias. Como agravante, não chove muito e faz pouco vento, o que aumenta o nível de poluição do ar”, revela a especialista.

No caso da suspeita de alguma dessas doenças, o ideal é que um médico seja consultado, uma vez que toda medicação deve ser prescrita por um profissional habilitado. “Além desse aspecto, a complicação de doenças aparentemente benignas como o resfriado comum, são melhores diagnosticadas e tratadas por um profissional da saúde.”

Em se tratando de gripe, que é transmitida de forma direta por meio de secreções respiratórias e indireta via contato com superfícies contaminadas pelas mesmas, a dica da infectologista Elisa é adotar algumas medidas. Veja abaixo:

  • Utilizar lenço descartável para higiene nasal;
  • Cobrir com o braço o nariz e boca, quando espirrar ou tossir;
  • Reduzir contatos sociais desnecessários e evitar, dentro do possível, ambientes com aglomeração;
  • Manter distância de indivíduos com sintomas gripais;
  • Ventilar os ambientes;
  • Lavar as mãos com frequência;
  • Lavar as mãos após tossir ou espirrar;
  • Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
  • Não partilhar alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal;
  • Evitar aperto de mãos, abraços e beijo social.
-- --