A Inadimplência e seu Enfrentamento por Aécio Schröder da Silveira

A Inadimplência e seu Enfrentamento

por Aécio Schröder da Silveira

Voltamos a comentar com nossos leitores sobre um assunto que assola a mente de milhões de brasileiros, atingindo mais de 63 milhões com CPF’s negativados no Serasa e SPC.

Mas sobre o tema, o que mais me impressionou no relatório, de agosto último do SPC Brasil foi a seguinte estatística: “46% dos inadimplentes não acreditam que vão conseguir pagar às dívidas nos próximos três meses”.
Esta afirmação só reforça a percepção de que após um ano, as pessoas seguem com dificuldades de organizar suas finanças, mesmo com sinais tímidos de melhora da economia.

Reconhecendo, de alguma forma, a influência do desemprego que ainda apresenta números expressivos, não está totalmente explicitado nesse aspecto, somente, a lógica da inadimplência.

A análise mais meticulosa vai demonstrar que carece ao brasileiro, falando em ampla maioria, aspectos básicos de educação financeira e, boa dose de autorreflexão de comportamento nos seus gastos.

O psicólogo israelense Daniel Kahneman, Nobel de Economia e expoente da área de finanças comportamentais, tem uma teoria que divide a mente humana em dois componentes chamados sistemas: o 1(mais emocional, instintivo, de momento), e o sistema 2 (aquele que é usado quando você para pensar um pouco mais). Somos influenciados, em muito, pelo ambiente, pelos grupos sociais próximos, inserções na mídia nos bombardeando com ofertas incríveis, nos conduzindo a adquirir bens muitas vezes não essenciais para àquele nosso momento financeiro.

Assim, os inadimplentes, devem estar utilizando muito mais o sistema 1 do cérebro, comprando na emoção, copiando modismos, não exercendo o mínimo planejamento de seus gastos.

Porque para o bem de seu bolso, nas horas das compras, não se dê um tempo que permita que o sistema 2 de Kahneman entre em ação. Vamos tentar ativar mais o nosso lado racional, estabelecendo objetivos de gastos formulando estratégias de curto, médio e longo prazos.

Quando consumidores afirmam que não conseguiram pagar suas dívidas, insisto neste ponto: o que queremos para nossa vida; preocupações, stress, possíveis conflitos emocionais de toda ordem, inclusive podendo afetar nossas relações humanas e nossa produtividade no trabalho?

Podemos com certeza nos disciplinar visando viver com estabilidade. Será que vale a pena o consumo desmesurado, sem adequação aos nossos limites financeiros?

Estas perguntas devem ser respondidas por você, que pode construir sua vida baseada em equilíbrio e lhe proporcionar atingir seus projetos e, principalmente, viver em paz e ser feliz.

Educador Financeiro Aecio Schroder da Silveira

Aécio Schröder da Silveira

Bacharel em Administração de Empresas, pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e Ciências Jurídicas e Sociais pela PUC/RS, Pós Graduado em Marketing, UFRGS e em Gestão Pública pela Escola do Ministério Público do RGS. O servidor do Ministério Público do Rio Grande do Sul e Educador Financeiro ministra conhecimento para que as pessoas tenham uma gestão mais eficiente e melhor organizem seus recursos, tanto no pessoal, como, também, seus investimentos. Contato para palestras : aecio.silveira@dsop.com.br. >>> Leia todas as publicações de Aécio Schröder da Silveira