Cadê o ônibus ? Sindha busca EPTC para tratar da ampliação dos horários do transporte público à noite

eptc onibus porto alegre

Reunião será na segunda-feira, 15 de agosto de 2016, às 14h, na sede da EPTC – Rua João Neves da Fontoura, 07 – Azenha, em Porto Alegre / RS

Um dos grandes problemas dos trabalhadores do setor da alimentação e hospedagem é a dificuldade de transporte para voltar para a casa no período da noite. Há restrição de linhas e limitação de horários que prejudicam a rotina dessas pessoas. Com o objetivo de buscar uma solução para essa situação, o presidente do Sindicato de Hospedagem e Alimentação de POA e Região (Sindha), Henry Chmelnitsky, e o presidente do Sindicato de Hotéis de Porto Alegre (SHPOA), Carlos Henrique Schmidt, tratarão do assunto em reunião com o presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Vanderlei Capellari.

“Esse tem sido um dos maiores desafio do nosso setor. São pessoas que precisam trabalhar, mas à vezes encontram dificuldade por razões de restrições no transporte público”, diz Henry. Segundo o dirigente, a ideia em procurar a EPTC é buscar alternativas para ampliação das linhas e horários de ônibus.

O problema no transporte público por ônibus em Porto Alegre não se resume somente ao horário da noite. Aos finais de semana, linhas são desativadas ou compartilhadas, outras são operadas somente por alimentadoras e a redução na tabela horária supera 50%.

Dois aumentos de tarifa bem acima da inflação
Vale lembrar que a Prefeitura Municipal de Porto Alegre através da gestão de Vanderlei Capellari, na presidência da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC),  reduziu o número de viagens em diversas linhas e gerou um aumento nas tarifas em 2016 superior a inflação. Inclusive superior ao aumento oferecido pela PMPOA aos servidores públicos.  A EPTC, também aumentou em 2015 a tarifa acima da inflação. No domingo (22.02.15) alterou a passagem de R$2,95 para R$3,25, um aumento superior à 10%. O aumento na tarifa dos ônibus foi muito superior a inflação oficial do país, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) foi em 12 meses, de 7,14%, acima do teto da meta do governo para o IPCA, que é de 6,5%. Se fosse praticado o reajuste de acordo com a inflação o preço da tarifa deveria ficar em R$ 3,16.

EPTC – Ações desastradas e falta de fiscalização
Por causa da licitação a maioria das empresas não renovaram a frota nos anos de 2013 a 2015, mesmo o usuário pagando variável na tarifa destinada à renovação da frota. Outro objeto de discussão é o uso do ar condicionado nos ônibus durante o verão bem como a observância da tabela horária. A EPTC não fiscaliza.

No mês de fevereiro de 2016 foi iniciado o novo modal de transporte na Capital gaúcha, com novos ônibus, sendo a grande maioria sem ar condicionado. A situação gerou constrangimento. O prefeito José Fortunati que afirmou na Rádio Gaúcha que todos os novos ônibus tinham ar condicionado foi desmentido por mensagens enviadas ao veículo de comunicação por usuários do transporte público. No mesmo dia, horas após,  Vanderlei Capellari, presidente da EPTC, falou na mesma rádio, corrigindo o Prefeito, seu chefe, informando que apenas alguns veículos tinham ar condicionado.

Algumas linhas operam hoje com número de viagens menores que aquelas oferecidas em anos anteriores. Confira :

Linha TV 195 STS
Em 11 de Agosto de 2016 oferece 107 horários em dia de semana. Em  1991, disponibilizava 130 horários. Uma redução superior à 15%.

LINHA T4 Carris
Em 23 de abril de 2002, haviam 145 horários em dias úteis, no sentido Norte Sul. Em 11 de agosto de 2016, são 112 horários.  Vale lembrar que em 2002, os Shoppings BarraSul e Wallig não operavam e o número de alunos matriculados na PUC era menor.

LINHA T3 Carris
Em 19 de junho de 2002 eram 137 horários em dias úteis, no sentido Norte Sul. Em 11 de agosto de 2016, são 127 horários

LINHA 353 Carris
Em 17 de Julho de 2001, haviam 120 horários em dias úteis, no sentido Bairro Centro. Em 11 de agosto de 2016, são apenas 87 viagens.

O mesmo acontece em diversas linhas de Porto Alegre. A EPTC aumenta a tarifa acima da inflação, não fiscaliza o serviço e gerência inadequadamente o transporte público motivando o transporte individual e o uso do carro, congestionando as via públicas e penalizando aqueles que precisam de um serviço eficiente.

Fontes : www.eptc.com.br e http://wayback.archive.org/web/*/http://www.eptc.com.br/Itinerario/Tabhor/*

.