Idec alerta: brasileiros consomem sódio demais

sal sodio

O Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) lançou estudo “O sódio que você não vê”, que traz orientações sobre o consumo de sódio e alerta os consumidores para o aumento do consumo desse nutriente em alimentos ultra processados no Brasil. Em conjunto com outros hábitos alimentares não saudáveis, este é um dos principais fatores de risco para doenças crônicas não transmissíveis relacionadas à alimentação, como a hipertensão (pressão alta).

Você sabia que o brasileiro é um dos povos das Américas que mais consome sódio?
Com uma média de 4,1 gramas por dia, o brasileiro só fica atrás do Paraguai em quantidade de consumo de sódio. Na terceira posição, está a Colômbia, com 4,0 gramas por dia.

País

Total*

(g de sódio /dia)

Homens*

(g de sódio /dia)

Mulheres*

(g de sódio/dia)

Brasil

4,1

4,3

3,9

Paraguai

4,3

4,5

4,1

Colômbia

4,0

4,2

3,9

Canadá

3,7

3,9

3,5

Bolívia

3,6

3,8

3,4

EUA

3,6

3,8

3,4

Venezuela

3,5

3,7

3,4

Panamá

3,4

3,5

3,2

Fonte: Powles et al. BMJ Open, 2013. (*valores estimados de acordo com as informações disponíveis de cada país)

“Vale lembrar que o limite máximo de consumo de sódio recomendado pela Organização Mundial da Saúde é de 2,0 gramas por dia. Portanto, o brasileiro consome o dobro do recomendado de sódio, o que pode trazer uma série de riscos para saúde”, explica Ana Paula Bortoletto, nutricionista do Idec.

Muita gente não sabe, mas o sódio está presente naturalmente em alguns alimentos, como o sal de cozinha, mas é também muito utilizado na produção de alimentos ultraprocessados, que são produtos elaborados a partir de ingredientes industriais, vendidos prontos para comer ou aquecer. “Atualmente, as pesquisas indicam que o consumo de sódio adicionado em alimentos processados como pães, embutidos e comidas prontas congeladas está aumentando. Números que trazem um alerta para os consumidores já que o excesso de sódio é o principal fator de risco para a hipertensão, ou seja, pressão alta. Essa doença aumenta o risco de outras doenças graves como Acidente Vascular Cerebral (AVC), insuficiência cardíaca e infarto, e insuficiência renal”, complementa.

O especial do Idec também traz a página Cadernos do Idec, com a publicação “Redução de Sódio em Alimentos – uma análise dos acordos voluntários no Brasil”, que pode ser baixada gratuitamente, além de uma página com dicas para o consumidor fazer escolhas alimentares mais saudáveis e ficar atento ao sódio que ele não vê, metas de redução no consumo de sódio propostas pelo governo brasileiro e links para pesquisas e artigos sobre o assunto. O especial apoia a divulgação da Semana Mundial da Conscientização sobre o Sal, promovida pela ALASS (Acción Latino-Americana de Sal y Salud), no período de 16 a 22 de março de 2015.

Exemplos de alimentos que contém o sódio que você não vê:

Exemplos do valor médio de sódio das categorias de alimentos pesquisadas pelo Idec e que fazem parte dos acordos voluntários para redução desse nutriente:

Caldos e temperos prontos: 3,15 média de sódio (g/100g)
Macarrão instantâneo: 1,75 média de sódio (g/100g)
Mortadela: 1,40 média de sódio (g/100g)
Salsicha: 1,28 média de sódio (g/100g)
Maionese: 1,09 média de sódio (g/100g)
Biscoito salgado: 0,80 média de sódio (g/100g)

-- --