Profissionais da arquitetura e decoração dão dicas de como criar homes offices mais atraentes e motivadores

O home office têm se transformado em tendência no mercado. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cerca de quatro milhões de brasileiros estão investindo nesse tipo de negócio.

Nesse modo de trabalho há várias vantagens como não precisar enfrentar o trânsito para se deslocar diariamente e ter flexibilidade de horário. Mas também há desvantagens, como alerta a designer de interiores Fabiana Visacro. “Trabalhar em casa requer um nível de concentração e disciplina maior do que em um escritório. Em casa, a possibilidade de levantar a qualquer momento para assistir a um programa de TV, tirar uma soneca ou simplesmente fazer um cafezinho se torna grande atrativo para a dispersão”.

Arquitetura e decoracao homes offices - Foto Osvaldo Castro
Arquitetura e decoração para home office – Foto Osvaldo Castro

Segundo Fabiana Visacro, a possibilidade de se distrair trabalhando em casa é muito maior do que em um escritório externo. Mas, para reverter isso, a decoração pode ser um grande aliado. Por meio dela é possível criar um ambiente agradável que estimule a concentração e a criatividade.

Para evitar dispersões, tornar o ambiente de trabalho em casa mais confortável e estimulante, os projetos de arquitetura e decoração se tornam imprescindíveis. A arquiteta Estela Netto conta o que não pode faltar na home-based: “Ergonomia e possibilidade de privacidade. Trabalhar com privacidade e sem interrupções é muito importante para a produtividade. Da mesma forma, deixar o espaço da família preservado do tumulto de ligações, materiais de trabalho e clientes é importante”.

Privacidade e ergonomia são os itens indispensáveis, segundo Estela Netto, para um bom projeto home-based - Foto Daniel Mansur
Privacidade e ergonomia são os itens indispensáveis, segundo Estela Netto, para um bom projeto home-based – Foto Daniel Mansur

Tão importante quanto a setorização do espaço familiar do de trabalho é a escolha dos objetos que vão integrar a home-based. “Cadeiras, mesas e afins precisam ser extremamente confortáveis. A iluminação deve ser bastante adequada ao tipo de trabalho desenvolvido no local. Os materiais utilizados devem estar sempre à mão e de fácil acesso. A temperatura deve ser agradável e a bancada deve ter uma altura precisa em relação ao braço da cadeira. Tapetes e persianas não podem faltar. O isolamento térmico e acústico pode ser, em alguns casos, importante também”, explica Fabiana.

Para que o layout seja feito corretamente e favoreça o trabalho desempenhado no local, uma entrevista preliminar é fundamental. “Nesse contato inicial o responsável pelo projeto consegue informações precisas sobre a necessidade do cliente e isso norteará todo o trabalho do arquiteto/decorador”, destaca Fabiana.

Estela completa: “Esse tipo de briefing é o que fará com que o espaço seja algo personalizado e feito sob medida para as necessidades profissionais da pessoa e isso não existe, por exemplo, em um escritório convencional”.