FIMEC 2015 – Feira do setor coureiro calçadista confirma as expectativas

FIMEC 2015 Feira em Novo Hamburgo - foto Fabio Winter e Lu Freitas 02

A expectativa de que a Feira Internacional de Couros, Produtos Químicos, Componentes, Máquinas e Equipamentos para Calçados e Curtumes proporcionasse um clima favorável à realização de negócios, foi confirmada. A avaliação positiva foi feita pelos representantes das principais entidades ligadas ao setor coureiro-calçadista, durante entrevista coletiva realizada na sexta-feira (20/03/15), que consideraram a mostra deste ano uma grande oportunidade para superar as adversidades econômicas.

“Contamos com uma visitação muito qualificada, contribuindo para que o contato entre as empresas e visitantes ocorresse num nível muito profissional. Prova disse é que os expositores concretizaram vendas e encaminharam muitas negociações para os próximos meses. A FIMEC é, mais do que nunca, a principal feira das Américas, consolidando-se como uma ferramenta fundamental para a interação entre os profissionais do setor. Vejo também a feira como uma oportunidade para que possamos compartilhar e acompanhar a velocidade do conhecimento”, destacou o diretor-presidente da Fenac, Elivir Desiam.

Entre as novidades anunciadas para a próxima edição está a alteração no número de dias da FIMEC, que passará a ser realizada em três dias. Atendendo a uma demanda do setor e seguindo uma tendência internacional, a feira acontecerá de 15 a 17 de março de 2016, com uma mudança também no horário: das 10 às 19h.

 

ENTIDADES – O presidente da Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Novo Hamburgo, Campo Bom e Estância Velha (ACI-NH/CB/EV), Marcelo Clark Alves, destacou a qualificação dos visitantes. “Vemos que os empresários estão fazendo a sua parte, assim como a FIMEC enquanto agente de promoção de feiras”, salientou. Para ele, é necessário buscar alternativas para superar as dificuldades. “Em momentos de ameaças não podemos nos esconder”, frisou. Já o consultor Luís Coelho, um dos responsáveis pela Fábrica Conceito e pelo Estúdio FIMEC, ressaltou que as expectativas positivas se confirmaram. “Considerando o atual momento político e econômico, repetir o número de visitantes do ano passado é excelente”, frisou. Coelho também ressaltou a qualidade dos visitantes. “Houve uma visitação maciça do empresariado com poder de decisão”, afirmou.

Representando a Associação Brasileira dos Químicos e Técnicos da Indústria do Couro (ABQTIC), Valmor Trevisan lembrou a importância da feira para o segmento. “Couro é moda e mostramos que podemos transformá-lo em produtos atraentes”. O presidente do Instituto Brasileiro de Tecnologia do Couro, Calçado e Artefatos (IBTeC), Paulo Griebeler, avaliou que, diante do cenário adverso enfrentado atualmente, o setor empresarial trouxe inovação para a feira, o que a tornou um sucesso. “Parabenizo o setor de máquinas pela inovação e tecnologia, o que reforçou a FIMEC como uma feira completa”, completou.

Os curtumes gaúchos cumpriram com êxito a missão a que se propuseram na FIMEC, de acordo com o presidente da Associação das Indústrias de Curtume do Rio Grande do Sul (AICSul), Moacir Berger. “A feira é também um momento para troca de informações. Reconhecemos as dificuldades, mas lembramos que aqui no Estado temos a expertise em couros acabados”, avaliou. O presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Máquinas e Equipamentos para os Setores do Couro, Calçados e Afins (Abrameq), Marlos Schmidt, parabenizou a Fenac pela realização de mais uma feira de sucesso. “É uma tarefa muito difícil mobilizar esse número de empresários que aqui encontraram soluções e inovações”, disse.

Para o presidente do Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil (CICB), Fernando Bello, a FIMEC é uma importante feira que converge todos os empresários do setor. “A feira está mais madura e profissional, com visitantes focados em busca de inovação”, analisou. O vice-presidente da Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos (Assintecal), Gerson Berwanger, parabenizou os expositores por superarem as expectativas em termos de produtos apresentados. “Podemos fazer um produto de moda bonito no Brasil”, frisou.

 

 

EXPOSITORES – A FIMEC 2015 continuou gerando negócios até o seu último dia nos pavilhões da Fenac, em Novo Hamburgo. A movimentação permaneceu constante durante os quatro dias do evento (17 a 20/03), mostrando novidades, lançamentos e uma série de inovações, reforçando a afirmação de que é uma feira que tem tudo. A Master Tecnologia para a indústria, de Novo Hamburgo, aproveitou a edição 2015 da FIMEC para lançar três novos produtos no mercado: uma medidora de couros com carimbo, um empilhador de couros e uma balança eletrônica máster para ajuste automático de descarnadeira, que inclusive ganhou o prêmio Inovação Lançamentos FIMEC deste ano. Para Neori Paim, diretor comercial da empresa, especializada em equipamentos para calçados e curtumes, o lançamento de um novo equipamento precisa acontecer durante a FIMEC. “É imprescindível estar aqui. Não comparecer à feira é estar fora do mercado. Aqui é apresentado tudo que há de novo no setor, seja em materiais, processos, sistemas ou inovações”, afirma. Segundo o diretor, é uma feira que tem tudo. “Na feira apresentamos todos os nossos produtos e geralmente rende negócios”, coloca.

 

 

DESEMPENHO – Sempre na busca de atualizações e melhoras de desempenho, a italiana Comelz, com sede em Novo Hamburgo, esteve mais uma vez na FIMEC apresentando seus produtos para o setor coureiro-calçadista. Neste ano, a empresa mostrou uma inovação: o sistema Cad-Cam para modelagem e corte em material de couro, com máquinas de alta flexibilidade, com sistema de encaixe automático para possibilitar a alta produtividade dos equipamentos. Segundo o gerente comercial Stefano Zorzolo, a Comelz está sempre na busca de tecnologia de ponta. “Sempre queremos evoluir com objetivo de manter a qualidade, racionalizando a produção para ajudar os clientes”, comenta. Zorzolo ressalta a importância de participar da FIMEC. “Montamos uma estrutura para atender nossos clientes, seja com treinamento, assistência técnica e capacidade comercial para nossos parceiros, do Brasil ou da América Latina. Aqui também podemos acompanhar o mercado, setor, nossos concorrentes, sentindo a introdução da tecnologia, modernização, desenvolvimento dos produtos e maquinários”, observa o diretor.

 

 

NOVA TÉCNICA – A empresa italiana GER, que tem como representantes no Brasil a Huni e a Leader Machine, apresentou este ano uma máquina para medir couro para curtume, com uma técnica nova de leitor infravermelho. Mauricio Scheffer, representante comercial da empresa, explica que, com este sistema, a máquina não terá problema em ambientes claros e escuros para fazer a leitura, algo que acontecia em versões mais antigas. Para ele, este novo equipamento não será apenas mais um instrumento de medição e sim de precisão, como um gabarito. “Esta máquina é a única homologada pelo MIDI na Europa, instituto similar ao Inmetro no Brasil”, garante Scheffer. Para ele, estar na FIMEC representa saber o que está acontecendo em relação aos negócios do setor couro-calçadista. “A feira é o ponto de encontro dos principais clientes em apenas um local. Aqui apresentamos nossos produtos e acompanhamos as novidades, além de ser também o termômetro do que pode acontecer no ano. Assim podemos ter uma ideia do quanto investir para se posicionar no mercado e termos uma projeção de vendas”, conclui.

FIMEC 2015 – fotos Fábio Winter & Lu Freitas

-- --