Festival Internacional de Quilt e Patchwork movimenta Gramado

Festival Internacional de Quilt e Patchwork

A 20ª edição do Festival Internacional de Quilt e Patchwork que acontecerá entre os dias 20 e 23 o Centro de Eventos da Faurgs ( Rua São Pedro, 663 – Centro ), em Gramado / RS, vai reunir mais de 50 expositores do segmento e contará com 42 cursos e oficinas com as mais avançadas técnicas da arte têxtil, além da exposição de 5 Mostras profissionais e 68 trabalhos, que concorrem nas nove diferentes categorias do concurso internacional. Entre as presenças confirmadas estão reconhecidos mestres em Quilt do Brasil, Argentina, Chile, Uruguai e Canadá. Mais de oito mil visitantes do Brasil e América Latina são esperados no evento. Ingressos: Inteira, R$ 20,00 por pessoa/dia | Meia entrada, R$ 10,00 por pessoa/dia.

Com programação diversificada o Festival proporciona um mix de atrações para seus visitantes. São oficinas, cursos, palestras, para quem quer aprimorar as técnicas. Há ainda exposição de trabalhos e uma feira com mais de 50 expositores que oferecem desde o pequeno retrós de linha, a tecidos diferenciados e máquinas que auxiliam e facilitam o trabalho dos quilteiros, além de apresentar as novidades do setor.

“Ao longo dos anos nosso evento se consolidou e hoje podemos dizer que somos o mais tradicional evento de Quilt e Patchwork do Brasil, mas também somos uma referência para países vizinhos, como Argentina, Chile e Uruguai, tanto que temos cursos e oficinas ministradas por Mestras destes países. Não tenho dúvida de que quem trabalha com arte têxtil tem passagem garantida por Gramado no Festival”, afirma José Mauro Netto, organizador do Festival Internacional de Quilt e Patchwork.

A argentina Ceci Koppmann, uma das Mestras oficineiras, descobriu o patchwork em 1998 e desde então dá aulas e expõe trabalhos em festivais de todo o mundo. “Conheci o Festival de Quilt e Patchwork de Gramado em 2010 e foi amor à primeira vista. É a perfeita combinação de seriedade, qualidade e cuidado na organização, o que se reflete em todo o festival. Para mim é o evento mais esperado do ano!”, comenta.

A confraternização é um dos pontos altos do evento e para marcar o encontro, no último dia de Festival acontece a Parada do Quilt, quando todos os participantes, expositores, alunos e visitantes desfilam pelas ruas de Gramado acompanhados de uma animada Banda Marcial da cidade exibindo seus trabalhos e integrando a cidade numa festa de cor e alegria.

Arte em exposição Mostra Competitiva
No ano da 20ª edição estão inscritos 62 trabalhos em nove categorias diferentes. Eles serão avaliados por um júri composto por juízes credenciados da Associação Brasileira de Patchwork e Quilt (ABPQ).

Durante a cerimônia de abertura do evento, dia 20 de setembro às 17h, serão revelados os vencedores de cada uma das categorias: Painel Tradicional, Painel Inovativo, Painel Figurativo, Painel Artístico, Painel Tecido Único, Painel Estreante, Colcha, Pequenos Quilts e Miniaturas.

Mostras paralelas
Além da mostra competitiva de quilts, outras cinco mostras paralelas acontecem durante o Festival: ‘Mostra dos Mestres’, com quilts dos professores convidados desta edição do evento, ‘Mostra Liberando a Criatividade’, com trabalhos de um grupo de alunas de Myrian Melo criado após o festival de 2016, ‘Mostra Lugares Inspiradores’, com peças repletas de emoções, detalhes e lugares inspiradores produzidas por artistas do Clube Brasileiro de Patchwork e Quilting de São Paulo, ‘Mostra Limitações’ com trabalhos feitos por um grupo de juízas credenciadas pela ABPQ e a ‘Mostra DNA Gaúcho’ com quilts feitos por 12 amigas e que compõem o calendário 2018. Todos os trabalhos ficam expostos durante o período do evento para quem passar pelo Centro de Eventos da FAURGS.

Feira de produtos e serviços
A feira de produtos e serviços específicos do setor deve reunir em 2017 mais de 50 expositores entre artesãos, fornecedores de materiais, equipamentos e acessórios para quem pratica quilt e patchwork.

Oficinas e cursos
Ao longo de todos os dias opções de cursos e oficinas preenchem a programação do Festival. Professores do Brasil, América Latina e Canadá ensinam suas técnicas para alunos de diferentes níveis de conhecimento. Pela manhã e à tarde estão programadas as “Cirandas de Técnicas”, que são demonstrações simultâneas e contínuas de técnicas, métodos e dicas de vários professores.

-- --