Segunda feira ( 20.08.18 ) no Festival de Cinema de Gramado

ator Edson Celulari e Karin Roepke em Gramado - Edson Vara PressPhoto

Festival de Cinema de Gramado 2018

O ator Edson Celulari, cuja versatilidade marca a história da arte dramática brasileira – seja no cinema, na televisão ou no teatro – chegou em Gramado na manhã de segunda-feira (20.08.18), onde receberá o Troféu Oscarito, honraria do 46º Festival de Cinema. Simpático, Celulari atendeu a pedidos de fotos e circulou pelos salões do centro de eventos do Hotel Serra Azul, onde está instalada a secretaria do evento e o credenciamento de convidados.

O talento de Celulari poderá ser conferido durante a projeção de “Teu mundo não cabe nos meus olhos”, de Paulo Nascimento, que integra a programação da Mostra Acessível do 46º Festival de Cinema de Gramado e terá sessão gratuita na terça-feira (21), no Teatro Elisabeth Rosenfeld. Sobre o ator, o diretor escreveu: “Carrega essa preocupação constante com o ser humano que é matéria-prima para seus personagens. Para o Edson não existe apenas um bom profissional, existe sim um bom ser humano que se transforma em um bom profissional. Uma coisa não anda separada da outra e assim ele percorre a jornada da sua carreira, da sua vida, com sua família, com seus amigos e até com seus inimigos, que não vi um ainda pessoalmente, mas certamente devem existir pois o Edson é de carne, osso e alma, não um personagem”.

Filmes, segunda-feira, 20 de agosto no Palácio dos Festivais
18h – Mostras competitivas
:: CMB | Minha mãe, minha filha, de Alexandre Estevanato
:: LME | Recreo, de Hernán Guerschuny e Jazmín Stuart
TROFÉU OSCARITO para Edson Celulari
:: CMB | Aquarela, de Thiago Kistenmacker e Al Danuzio
:: LMB | Simonal, de Leonardo Domingues

Mostra universitária apresenta produções de seis países diferentes
Começam na segunda-feira (20) três mostras paralelas com entrada franca no 46º Festival de Cinema de Gramado. A mostra infantil e a de longas-metragens gaúchos acontecem no Palácio dos Festivais, respectivamente às 9h e às 13h30. Já a mostra de filmes universitários ocorre no Teatro Elisabeth Rosenfeld e apresenta produções de seis países diferentes em duas sessões ao estilo maratona, nas tardes de segunda e terça-feira. Ao todo são 20 filmes em exibição.

A maioria das produções são provenientes de universidades gaúchas. Estão representadas tanto instituições de Porto Alegre e região metropolitana (UniRitter, Pucrs, Unisinos, Ulbra, e Senac), como do interior do Estado (Faculdade da Serra Gaúcha, Unisc, e Ufpel). Mas a mostra conta com a participação de produções provenientes de Jerusalém (Tel Aviv University), Estados Unidos (California Institute of the Arts) Nova Zelândia (New Zealand Broadcasting School), Reino Unido (Meet Film School) e Alemanha (German Film and Television Academy). As exibições têm entrada franca e ocorrem em dois blocos, a partir das 14h e 16h.

Cerimônia de encerramento do festival terá transmissão ao vivo

A grande festa de encerramento do 46º Festival de Cinema de Gramado, que ocorre na noite de sábado, 25, e revela os vencedores dos Kikitos terá transmissão ao vivo. Como já é costume, o Canal Brasil vai acompanhar a festa direto do Palácio dos Festivais em programa com apresentação de Simone Zuccolotto e comentários de Roger Lerina e Luiz Zanin. A repórter Maria Clara Senra trará também informações direto do tapete vermelho.

“Las Herederas” surpreende com diretor, produtor e protagonista estreantes

Ao final da sessão de “Las Herederas”, que abriu a competição internacional do 46º Festival de Cinema de Gramado, na noite de sábado (18), houve fila para cumprimentar a equipe do longa paraguaio. O público emocionado abraçava as três atrizes (Ana Brun, Margarita Irun e Ana Ivanova), agradecendo a entrega na interpretação do drama que provoca ao abordar a relação homossexual entre mulheres na terceira idade.

O diretor, Marcelo Martinessi era saudado por ter, ao mesmo tempo, coragem e sensibilidade para pautar o tema tabu com delicadeza, e o produtor do filme, Sebastián Peña Escobar, recebia elogios por um duplo logro: coordenar uma coprodução entre seis países e emplacar o filme em salas de todo o continente – no Brasil, “Las Herederas” estreia em cinemas no dia 30 de agosto.

O filme chegou a Gramado depois de se destacar no Festival de Berlim onde foi premiado em três categorias e ainda venceu outros seis festivais ao redor do mundo.

Todo esse êxito não é resultado de anos de experiência como seria de se esperar. Pelo contrário, “Las Herederas” é o primeiro longa-metragem tanto de Marcelo Martinessi como de Sebastián Peña Escobar. “Durante as gravações, nos apoiamos muito. Dizíamos, já que é nossa primeira vez, vamos fazer isso juntos”, confessa Escobar.

A dupla precisou se desdobrar para além dos papeis que lhes correspondiam para executar o projeto. Isso porque com a participação de 40% do Brasil na produção, confirmada pela produtora Julia Murat, era preciso fazer com que o Senado do Paraguai aprovasse uma lei de cinema que autorizasse a inclusão do país no rol de signatários do programa Ibermedia, o principal incentivador de coproduções entre América Latina e Península Ibérica e que apoiou a realização do longa. “Eles iam de gabinete em gabinete pedir o apoio dos senadores e todas as noites eu e Sebastián falávamos por telefone para ele me atualizar do placar da votação”, recorda Julia.

Tem mais: durante a coletiva de imprensa e debate com o público, a protagonista da história, Ana Brun surpreendeu os presentes ao revelar que é atriz amadora. Sua personagem, a decadente Chela, precisa se reinventar quando a companheira de 30 anos de vida é presa por uma dívida não paga exatamente no momento em que está vendendo o que ainda lhe resta de herança para sobreviver.