Bento em Dança 2017 : Festival terá mais de 600 coreografias em oito noites

Festival Bento em Danca 2017

Bento em Dança 2017 : Festival terá mais de 600 coreografias em oito noites, reunindo cerca de 6 mil bailarinos de 7 a 14 de outubro de 2017, em Bento Gonçalves na Serra Gaúcha

Há 25 anos, sempre no mês de outubro, Bento Gonçalves (RS), a Capital Brasileira do Vinho, é também a Capital da Dança. Considerado um dos principais festivais de dança do país no gênero, o Bento em Dança já reuniu no período mais de 140 mil bailarinos de mais de 20 países, contribuindo para a promoção da dança como expressão artística, além de estimular a integração de povos e culturas. De 7 a 14 de outubro de 2017, a cidade vai ser embalada por 627 coreografias, 18 oficinas e aproximadamente 6 mil bailarinos. O 25º Bento em Dança acontece no Pavilhão E do Parque de Eventos de Bento Gonçalves.

Serão cerca de 50 horas de apresentações em oito noites de espetáculos, todas abertas ao público com ingresso a R$ 20. Estudantes e idosos pagam meia-entrada. O ballet, nos gêneros Clássico de Repertório e Neoclássico e Clássico Livre reúne o maior número de inscrições com cerca de 300 coreografias. Jazz, Estilo Livre, Técnicas Contemporâneas de Dança, Danças Populares, Danças Urbanas e Sapateado completam a relação de gêneros da dança.

Uma das novidades desta edição é o início das competições já na primeira noite. Cícero Gomes, primeiro bailarino do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, e a solista Melissa Oliveira, serão atração na abertura dançando Cisne Negro. No último dia do festival, 14, acontece a Gala de Encerramento com a apresentação dos grandes vencedores, um espetáculo para quem aprecia a arte. Para a presidente do Bento em Dança, Erci Grapiglia, o festival celebra a pluralidade cultural e dá voz à dança. “Nesses 25 anos, ajudamos a transformar alunos em grandes bailarinos, viabilizamos intercâmbios que transformaram a vida de muitos estudantes e promovemos a dança como uma expressão artística. E fizemos tudo isso por amor à arte, por compreender que através da dança é possível comunicar, emocionar, interagir”.

Durante o dia, também no Pavilhão E, milhares de bailarinos se dedicam ao aperfeiçoamento profissional em oficinas ministradas por 13 professores especializados em diferentes áreas. Serão 69 horas de aulas numa maratona que reúne técnica, sensibilidade, habilidade, dedicação e muito treino. A programação inicia às 9h e segue até às 16h com oficinas em espaços simultâneos montados especialmente para proporcionar aos bailarinos, além do contato com grandes nomes da dança, a oportunidade de evoluir tecnicamente.