SICC 2018 : Como foi o primeiro dia da feira de calçados em Gramado

SICC 2018 : Como foi o primeiro dia da feira de calçados em Gramado

SICC 2018

Lojistas de vários estados brasileiros chegaram em Gramado com objetivos bem definidos: conhecer os principais lançamentos da moda nacional em calçados e acessórios, e encontrar boas oportunidades de negócios. Nos corredores do Serra Park, que sedia o SICC – Salão Internacional do Couro e do Calçado, eles encontraram em primeira mão os lançamentos das principais marcas nacionais, com expositores dispostos a fechar vendas.

Consolidada como principal momento de encontro entre indústria e varejo no Brasil, a tradicional feira segue até a quarta-feira (23.05.18). O lojista e distribuidor paranaense Euclécio Goldani, da Calcebel Calçados, com oito lojas e mais uma distribuidora com cerca de dois mil clientes nos três estados do sul do país e Mato Grosso, está em Gramado para comprar. “Venho em busca de prazo e de negociação com o dono da fábrica. Isto é fundamental aqui em Gramado, pois temos acesso ao industrial”, diz ele. Goldoni salienta também que deve comprar de 35 a 40 mil pares de calçados femininos e masculinos nestes três dias de feira. Marcelo Gonçalves, da Sapato Mania, de Birigui, interior de São Paulo, também está disposto a comprar, mas quer primeiro ver as coleções e os preços. “Sempre faço boas comparações em Gramado. Tem um número expressivo de marcas”, diz ele.

COMPRADORES INTERNACIONAIS – Logo na abertura do SICC, os primeiros compradores internacionais, dos cerca de 250 que estão na feira, já começaram sua busca pelo melhor da produção brasileira. Há 15 anos trabalhando com o Brasil, pela primeira vez no SICC, Alberto Garlean, da Officine Corporation, nas Filipinas, diz que a grande vantagem da SICC é o envolvimento das próprias fábricas com a escolha dos importadores e uma disposição em negociar diretamente com os proprietários de marcas renomadas. “Para nós este envolvimento e este conhecimento é muito importante”, ressalta. Yogesh Makhija, dos Emirados Árabes, da Divisão de Calçados da Al Safeer Group of Companies LLC, tem a mesma opinião. Ele faz negócios com calçados brasileiro há 19 anos, e cerca de 85% dos produtos que a empresa negocia são daqui. Este fluxo se deve, segundo o empresário, à alta qualidade das marcas brasileiras e à preferência por cores e estilos marcadamente nacionais. Ele compra calçados numa faixa ampla, que varia entre 7 e 30 dólares, “sempre tive ótimas experiências com revenda de calçados brasileiros”, salienta o empresário.

ANÚNCIO – Neste primeiro dia de feira, a Merkator Feiras e Eventos anunciou também mudanças na 40 Graus – Feiras de Calçados e Acessórios. A feira que teve a primeira de suas cinco edições em 2013, no Centro de Eventos em Natal (RN), vai se mudar para João Pessoa, na Paraíba. Através de uma parceria com a CampinaCal, a Merkator decidiu transferir a sua feira com foco no norte e nordeste para o polo calçadista da Paraíba que tem mais de 300 empresas de calçados e cerca de 25 mil funcionários deste segmento. “É claro que a nossa feira vai tentar levar expositores e varejistas de todo o país, mas é sempre bom estar junto de um polo produtor. Estamos felizes e apostando num trabalho promissor”, diz Frederico Pletsch.

A sexta edição da 40 Graus Feira de Calçados e Acessórios vai acontecer de 04 a 06 de fevereiro de 2019, no Centro de Convenções de João Pessoa.