Feira Expointer 2016 – Assinados convênios para qualificar produção vitivinícola

Dirceu Scottá ( Presidente do Ibravin ) e Carlos Sperotto ( Presidente do Conselho Administrativo do SENAR/RS ) renovam convênio para assistência técnica no setor vitivinícola || Foto: Tiago Francisco/Divulgação Farsul
Dirceu Scottá ( Presidente do Ibravin ) e Carlos Sperotto ( Presidente do Conselho Administrativo do SENAR/RS ) renovam convênio para assistência técnica no setor vitivinícola || Foto: Tiago Francisco/Divulgação Farsul

Assistência técnica para 200 produtores e disponibilização de linhas de crédito para as micro e pequenas empresas integram os termos das parcerias alinhadas na Expointer 2016 – Exposição Internacional de Animais, Máquinas, Implementos e Produtos Agropecuários, que acontece no Parque Estadual de Exposições Assis Brasil (BR 116, Km 13, s/nº), em Esteio, a 25 km de Porto Alegre / RS.

As assinaturas de dois convênios para qualificar a produção vitivinícola marcaram a agenda de quinta-feira (1º.09.16). Pela manhã, foi renovado o convênio entre o Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) que promoverá cursos e treinamentos de qualificação para mais 200 produtores de uva da Serra Gaúcha. A tarde, foi firmada parceria entre o Instituto, o Banco de Desenvolvimento do Estado do Rio Grande do Sul (Badesul), a Secretaria de Agricultura Pecuária e Irrigação (Seapi) e a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (SDCT) para disponibilização de linhas de crédito.

A agenda do setor na feira também compreendeu, na quarta-feira (31.09.16), reunião de trabalho da Frente Parlamentar da Vitivinicultura, para o encaminhamento de pleitos junto aos governos nas esferas estadual e federal.
No convênio firmado de manhã de quinta-feira (1º.09.16), serão disponibilizados recursos pelo Senar e caberá ao Ibravin a articulação das 20 turmas, a capacitação dos instrutores e o material. O modelo do convênio assinado em 2015 será repetido, com as empresas vinícolas trabalhando em conj/unto com produtores que fornecem a matéria-prima a elas. Ao final, os viticultores serão certificados em Boas Práticas Agrícolas (BPA) e auditados pelo Instituto,
por amostragem.

O presidente do Ibravin, Dirceu Scottá, explica que o objetivo é profissionalizar e ajudar a viabilizar a produção dos viticultores da Serra Gaúcha. “Esse trabalho na propriedade é fundamental para que possamos atingir o maior número possível de produtores e para dar continuidade ao processo de qualificação dos nossos vinhos, sucos e espumantes”, disse. Scottá se refere à primeira etapa do projeto que capacitou 170 produtores. O dirigente cita que um dos pontos trabalhados com os viticultores é sobre o uso de agrotóxicos. Scottá lembrou que, muitas vezes, a única assistência recebida é prestada pelo vendedor de insumos e que o convênio renovado também objetiva preencher esta lacuna. “Em alguns casos, o produtor é induzido a aplicar além do que é preciso ou até mesmo a usar produtos
desnecessários. Além de onerar o custo de produção, esse procedimento pode ocasionar em excesso de resíduos de agrotóxicos na matéria-prima”, enfatizou.

À tarde, de forma inédita, as instituições Ibravin, Badesul, SDCT e Seapifirmam convênio que prevê financiamento para micro e pequenas vinícolas, com juros subsidiados por recursos do Fundo de Desenvolvimento da Vitivinicultura (Fundovitis). Serão contemplados projetos de inovação e transferência de tecnologia para produção sustentável, para renovação de vinhedos com orientação para o mercado, de Boas Práticas Agrícolas (BPA), para renovação das próprias
vinícolas com maquinário e para implantação das Boas Práticas Enológicas e Análise de Perigo e Pontos Críticos de Controle (APPCC). O convênio também incluirá projetos relacionados ao enoturismo e que estimulem o engarrafamento no RS.

“Pretendemos reforçar ainda mais o apoio à modernização e inovação no setor vitivinícola, tão importante e tradicional na economia do Rio Grande do Sul”, destacou a presidente do Badesul, Susana Kakuta. Já Fabio Branco,
titular da SDCT, classificou o setor vitivinícola como estratégico para o estado e complementou: “Esse ato demonstra que o governo precisa esticar o braço para quem precisa, e essa iniciativa é uma forma de colocar em prática essa política”. O secretário substituto da Seapi, André Petry, também participou do ato.

-- --