FecomercioSP apoia o projeto de logística reversa de eletroeletrônicos

Descarte ON FecomercioSP logistica reversa de eletroeletronicos

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), por meio do seu Conselho de Sustentabilidade, está entre as entidades que apoiam e incentivam o projeto “Descarte ON”, iniciativa piloto de logística reversa de eletroeletrônicos (REEE) realizada em conjunto pelos governos do Japão e do Brasil.

A ação será promovida a partir do dia 28 de abril na cidade de São Paulo e contará com o engajamento de varejistas, cooperativas e associações representativas do setor eletroeletrônico. Inicialmente, o projeto será realizado na região da Subprefeitura Lapa e terá o objetivo conscientizar os moradores sobre a importância da destinação correta para esse tipo de material.

O projeto de REEE foi desenvolvido pela JICA (Japan International Cooperation Agency), órgão do governo japonês responsável por ações que apoiem o crescimento e a estabilidade socioeconômica de países em desenvolvimento; o MDIC (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior); o MMA (Ministério do Meio Ambiente), a Prefeitura de São Paulo – por meio da Secretaria de Serviços e da AMLURB (Autoridade Municipal de Limpeza Urbana); e a Agência Brasileira de Cooperação (ABC).

Com o objetivo de difundir e valorizar ações e projetos para melhorar a qualidade de vida dos cidadãos, incentivar a inserção do conceito de sustentabilidade na gestão empresarial, entre eles, a consciência de logística reversa de produtos e embalagens no País, o Conselho de Sustentabilidade da FecomercioSP apoiou o projeto e foi responsável por intermediar a iniciativa com as principais empresas do comércio varejista do estado.

Entre os demais participantes da iniciativa estão a Abinee (Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica), Abree (Associação Brasileira de Reciclagem de Eletroeletrônicos e Eletrodomésticos), Apas (Associação Paulista de Supermercados), Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo), Eletros (Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos), IDV (Instituto para Desenvolvimento do Varejo) e o MCTI (Ministério da Ciência e Tecnologia), por intermédio do Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer; e a Ecos, que será responsável pela destinação ambientalmente adequada dos resíduos eletrônicos.

Os itens que poderão ser descartados nos pontos de coleta serão: eletrodomésticos de pequeno porte (liquidificadores, espremedores, ferros de passar, etc.) e eletrônicos de pequeno porte, como aparelhos de áudio e vídeo, laptops e celulares. Baterias, pilhas, lâmpadas fluorescentes e tonners de impressora não estão incluídos no projeto.

Imagem : AllImpress