Eleições 2018 : Pesquisas erram resultados das eleições mesmo realizadas um dia antes

Eleitor brasileiro - voto eleicoes - urna eletronica - Foto Elza Fiuza Agencia Brasil

Eleições 2018 : Pesquisas erram resultados

Uma informação importante para avaliação para quem acredita fielmente nas pesquisas na hora de decidir seu voto nas eleições. Mesmo realizadas um dia antes, elas erram. As amostras dos Institutos servem mais para manipular e indicar o caminho do voto dos eleitores do que propriamente uma realidade. É distante da realidade, quanto a Pesquisa Focus, que erra todas as avaliações semananais para a economia em suas previsões do PIB, taxa de juros e dólar.

Desde 2010, os resultados nas urnas têm sido diferentes dos apontados nas pesquisas de intenção de voto. São de longe um bom indicativo do cenário político e do provável resultado das eleições. De lá pra cá, apenas uma vez as pesquisas que foram divulgadas pelos institutos Ibope e Datafolha no dia anterior à votação em primeiro turno realmente acertaram o resultado das urnas, levando em conta as duas eleições presidenciais e as duas eleições municipais que aconteceram em São Paulo nesse período.

Nas eleições presidenciais de 2010, a pesquisa divulgada pelo Ibope um dia antes da votação cravava que Dilma Rousseff (PT) venceria a disputa no primeiro turno. A candidata tinha 51% dos votos válidos, contra 31% de José Serra (PSDB) e 17% de Marina Silva (PV). Já a pesquisa do Datafolha, divulgava no mesmo dia, dava 50% dos votos válidos para Dilma, contra 31% de Serra e 17% de Marina.

O resultado nas urnas foi diferente: a petista teve 46,9% dos votos válidos, enquanto o candidato do PSDB ficou com 32,6% e Marina com 19,3%, o que forçou um segundo turno entre Dilma e Serra.

Nas eleições seguintes, em 2014, as pesquisas de intenção de voto do Ibope divulgadas no dia anterior à votação do primeiro turno davamm 46% dos votos válidos para Dilma Rousseff (PT), 27% para Aécio Neves (PSDB) e 24% para Marina Silva (PSB). Já o Data Folha, indicava 44% para Dilma, 26% para Aécio e 24% para Marina. Nas urnas, a petista teve 41,5%, o tucano 33,5% e a candidata do PSB 21,3%.

Nas eleições municipais de São Paulo, os institutos de pesquisas parecem encontrar dificuldades maiores para prever os resultados. Tanto em 2012 quanto em 2016, as intenções de voto registradas no dia anterior às votações foram totalmente diferentes aos resultados finais.

Em 2012, a pesquisa do Ibope dava 26% dos votos válidos para Celso Russomano (PRB), 26% para Fernando Haddad (PT) e 26% para José Serra (PSDB). Já o Datafolha indicava 24% para Serra, 23% para Russomano e 20% para Haddad. Nas urnas, o resultado foi completamente diferente: o tucano ficou 30,7%, o petista teve 28,9% e o candidato do PRB teve 21,6% dos votos válidos.

Nas eleições de 2016, a previsão também errou. A pesquisa do Ibope divulgada um dia antes da votação do primeiro turno dava 35% das intenções dos votos válidos para João Doria (PSDB), 23% para Celso Russomano (PRB) e 19% para Marta Suplicy (PMDB). A pesquisa do Datafolha indicava 44% para Doria, 16% para Russomano e 16% para Fernando Haddad (PT). No resultado oficial, o tucano levou a disputa ainda no primeiro turno, cenário que não foi previsto por nenhuma das duas pesquisas: Doria teve 53,2% dos votos válidos, contra 16,7% do petista e 13,6% do candidato do PRB.

No sábado (06.10.18) véspera do primeiro turno da eleição, quatro pesquisas sobre a corrida presidencial deverão ser divulgadas: MDA, Ibope, Datafolha e Vox Populi. São as últimas antes da votação de domingo (7.10.18).

A sondagem da MDA foi contratada por R$ 160.000,00 pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT). A amostragem é de 2.002 eleitores e margem de erro de 2,2%.

O Ibope, comprado pela Globo e Estadão por R$ 347.653,33, entrevista 3.010 eleitores e apresenta margem de erro de 2%.

O Instituto Datafolha ouve 17.056 eleitores, pago por Globo e Folha, por R$ 549.440,00, traz margem de erro de 2%.

A novidade das pesquisas é o levantamento da Vox Populi que foi totalmente financiado com dinheiro dos próprios eleitores. O projeto foi idealizado pelo portal Brasil 247, de Leonardo Attuch. O Vox 247 entrevista 2.000 eleitores e apresenta margem de erro de 2,2%

Então, acreditarás nas projeções das amostras dos Institutos para definir seu voto (útil) ? Vote em quem melhor representa tuas ideias e desejo para um pais melhor.

.