Dia dos Namorados 2016 deve movimentar R$ 70 milhões no comércio de Porto Alegre

Dia dos Namorados 2016 deve movimentar R$ 70 milhões no comércio de Porto Alegre

Pesquisa de intenção de compras, encomendada pela CDL POA e Sindilojas Porto Alegre, indica a preocupação em acertar no presente e as roupas aparecem como melhor escolha

Na data comemorativa mais romântica do calendário, o presente ganha um simbolismo especial. O Dia dos Namorados é o momento de impressionar o(a) parceiro(a), então errar na escolha pode significar que não se conhece bem o ser amado. Para entender melhor o processo de compra na celebração dos apaixonados, a CDL POA e o Sindilojas Porto Alegre encomendaram uma pesquisa que traça o perfil dos consumidores gaúchos para o 12 de Junho.

De acordo com o presidente da CDL POA, Alcides Debus, a estimativa é de que o período movimente R$ 70 milhões no comércio da Capital e Região Metropolitana, considerando, especialmente, as vendas entre 1º e 11 de junho. “O ticket médio deve ficar em torno de R$ 180,00 e os presentes mais citados foram roupas (38%), artigos de perfumaria ou maquiagem (16%), acessórios (15%), calçados (11%) e eletrodomésticos e eletrônicos (5%)”, adiantou Debus. A maioria dos entrevistados (67%) planeja pagar à vista em dinheiro. Em segundo lugar (22,5%), ficou a opção “no cartão de crédito parcelado”, 4,9% “à vista em cartão de débito” e 3,5% “no cartão de crédito em parcela única”.

O levantamento foi realizado pela Zooma Consumer Experience, entre os dias 18 e 29 de abril. Segundo o presidente do Sindilojas Porto Alegre, Paulo Kruse, o varejo está confiante e acredita que as projeções se confirmem. “O companheiro nunca deixa de ser agraciado na comemoração e o presente tem um valor intangível e simbólico, de ter que representar o amor do namorado. Além disso, quando o Dia dos Namorados cai em um domingo a tendência é que a comemoração se estenda por todo o final de semana e, logo, que os casais gastem mais com a data”, comenta.

Lojas físicas x online
Mesmo em época de tecnologia móvel, na ponta dos dedos, 73% dos entrevistados ainda pretendem pesquisar preços em lojas físicas. Quanto ao local, 52% deverão comprar em lojas de rua e 40% em shoppings. Para aqueles que preferem comprar o presente do Dia dos Namorados em lojas de rua, os principais motivos que levam à esta escolha são os preços mais baixos (36%), a variedade em geral (11%) e a proximidade do trabalho (9%). Os que optam pelas lojas de shopping, o fazem devido à segurança (41%), variedade de lojas (15%) e variedade em geral (7%).
Poucos apontaram inclinação para comprar algo extra (28%), entre aqueles que costumam dar um complemento ao presente, as flores aparecem como a principal opção (14%), seguidas de chocolate (5,2%) e jantar (6,3%). Apesar de o presente do Dia dos Namorados ser considerado como um dos mais especiais entre as datas comemorativas e ser programado com antecedência, os apaixonados ainda deixam para comprá-lo em cima da hora. Do total de consultados, 52% afirmaram que deixarão para adquirir o regalo nos últimos sete dias que antecedem a data e 34% pretendem fechar negócio com antecedência mínima de duas semanas.

Perfil e comportamento
Levar o parceiro junto para escolher o presente não é comum – é alternativa de apenas 12% dos entrevistados. Sobre o estilo de compra, em primeiro lugar foi citado “dar algo que a pessoa realmente precise”, seguido de “dar algo que tenha um significado emocional para o(a) presenteado(a)”, “pensar muito na escolha do presente” e “dar presentes que sejam fáceis de trocar”.

Quando perguntados sobre como poderiam caracterizar as pessoas presenteadas, os adjetivos mais comuns foram: moderno (a) (13%); sofisticado(a), elegante, formal (9%) e esportivo(a) (7%). E as três formas mais comuns de definir os parceiros foram: carinhoso(a), atencioso(a), amoroso(a) (16%); alegre, engraçado(a) ou brincalhão(ona) (15%) e rabugento(a), possessivo(a) ou ciumento(a) (8%).

No quesito “presentes mais desejados”, a preferência foi para roupas (31%), seguida de artigos de perfumaria ou maquiagem (16%), acessórios (13%), calçados (9%) e eletrodomésticos e eletrônicos (7%).

-- --