Dia das Mães 2015 – Pelo segundo ano consecutivo comércio apresenta retração no volume de vendas

compras negocios vendas shopping

Com poder de compra comprometido, brasileiro decide gastar menos com presentes

Pelo segundo ano consecutivo houve queda nas consultas para vendas a prazo na semana do Dia das Mães. De acordo com o indicador calculado pelo SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e pela CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas), o volume de vendas parceladas na semana anterior ao  domingo (entre 3 e 9 de maio) caíram 0,59% em relação aos sete dias que antecederam a mesma data comemorativa em 2014. O número representa não apenas a segunda retração consecutiva, mas a segunda maior queda em seis anos de série histórica. Vale ressaltar que a queda de 2015 se segue a um forte recuo de 3,55% verificado em 2014. Em períodos anteriores, as variações foram de +6,44% (2013), +4,40% (2012), +6,53% (2011) e de +9,43% (2010).

O Dia das Mães é a data mais importante para o varejo no primeiro semestre e fica apenas atrás do Natal em volume de vendas a faturamento. Dada a importância que a data representa para o comércio, o resultado negativo deve funcionar como uma prévia para o desempenho da atividade comercial ao longo de 2015, afirmam os economistas do SPC Brasil.

Segundo a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, o resultado negativo deste ano pode ser atribuído ao menor crescimento da massa salarial, à alta dos juros, à inflação elevada e ao enfraquecimento do poder de compra do consumidor brasileiro. “A inflação elevada e o aumento do desemprego, verificados nos últimos meses, têm como consequência imediata a menor disponibilidade de renda das famílias para o consumo. Além disso, a incerteza em relação ao futuro da economia impacta nos compromissos financeiros como o parcelamento de compras.”, explica a economista.

-- --