Dia das Crianças : preços altos e contenção de despesas afetam intenção de compras, aponta Boa Vista SCP

dia da crianca

57% disseram que gastarão menos ou a mesma quantia do ano passado na compra do presente; 40% decidirão o presente em função do preço. O desejo da criança ou a utilidade do item vêm em seguida

Brasil real : crise continua
O aumento dos preços e a contenção de despesas são os principais motivos que farão com que os consumidores gastem menos com o presente do Dia das Crianças neste ano, na comparação com 2016, segundo a Pesquisa Hábitos de Consumo da Boa Vista SCPC, feita com cerca de 1.100 pessoas, em todo o Brasil, especialmente para esta data. Os que irão priorizar o pagamento de outras despesas, como contas de consumo (água, energia elétrica, internet), mensalidade escolar e plano de saúde, ocupam a terceira posição, seguidos dos que alegam o desemprego (10%) e a redução de renda (9%).

Valores, meios e formas de pagamento
Também de acordo com a sondagem da Boa Vista SCPC, 33% disseram que gastarão a mesma quantia do ano passado e 24% menos. Os que gastarão mais representam 43%.

Cresce em aproximadamente 14% o valor médio pretendido para a compra do presente do Dia das Crianças em comparação ao ano de 2016, passando de R$ 174 para R$ 198. 88% dos consumidores pretendem comprometer menos de 25% da renda familiar com a compra do presente, 12p.p. (pontos percentuais) acima em comparação ao ano passado. 11% irão comprometer entre 25% a 50% e apenas 1% mais de 50%.

68% dos consumidores irão comprar o presente do Dia das Crianças e pagar à vista, mesmo percentual de 2016.

O dinheiro ainda será o principal meio de pagamento para quem irá pagar à vista, registrando 48% das menções. 32% dos consumidores pretendem parcelar o valor do presente para o Dia das Crianças. Deste, 91% utilizarão o cartão de crédito, 17p.p. de crescimento se comparado ao ano passado. Já carnês e boletos representam apenas 8% dos meios de pagamento que serão utilizados para efetuar as compras nesta data.

59% dos consumidores, ou seja, 8p.p. acima em relação ao ano passado, irão parcelar o valor em no máximo três vezes. Por outro lado, cai de 16% para 10% o total dos que pretendem parcelar entre sete a 12 vezes.

Tipo do presente e local da compra
40% decidirão a compra em função do preço. O desejo de quem irá ganhar aparece em 2º lugar, com 33% das menções. Necessidade ou utilidade do presente vem logo em seguida entre os fatores que serão levados em conta no momento da decisão da compra, com 24%.

Comparada ao ano anterior, cresce 5p.p. a intenção de compra por brinquedos. Ou seja, 48% dos consumidores comprarão brinquedos. Eletrônicos e itens de vestuário ocupam a segunda posição, com 21% cada, seguidos de Entretenimento (4%) e Livros, CDs e DVDs (5%).

75% dos consumidores irão concentrar as compras para o Dia das Crianças em lojas físicas contra 25% que farão a compra pela Internet. Dos que farão a compra em loja física, 41% realizarão as compras em lojas de shoppings centers, seguidos por lojas de rua/bairro com 38%. As lojas de grandes redes varejistas ou lojas de departamento tiveram uma queda entre as menções, passando de 26% em 2016, para 19% em 2017.

31% dos consumidores não irão comprar presentes por estarem endividados. Outros 23% irão priorizar o pagamento de contas da casa, o que aumentou em 9p.p. em comparação ao ano passado. O desemprego e a contenção de despesas vêm logo em seguida com 21% e 15%, respectivamente.

-- --