Calor pede atenção redobrada com a pele

praia verao

O verão traz os riscos que o calor excessivo pode provocar à saúde da pele. Os médicos listam os problemas mais comuns relacionados aos efeitos da exposição solar, alertando para a necessária preocupação com o câncer de pele não-melanoma, o mais comum entre os brasileiros. O Instituto Nacional de Câncer (Inca) calcula que serão 175.760 novos casos desse tipo da doença até o fim de 2017.

“É importante sempre usar o filtro solar. Quando for ficar exposto diretamente ao sol, como na praia, na piscina ou no trabalho de rua, o ideal é passar antes o protetor em casa e, depois, reaplicar o filtro de duas em duas horas. Os filtros com FPS acima de 30 são os mais indicados. É importante evitar a exposição prolongada ao sol no período das 10h às 17h, quando há maior incidência de raios nocivos”, diz a dermatologista Luciana Velloso, professora da Faculdade de Medicina de Petrópolis (FMP/Fase).

Os homens também devem se lembrar de passar o filtro nas orelhas, geralmente esquecidas na hora da proteção. Usar chapéus e bonés, óculos escuros e buscar proteção na sombra são outras recomendações que todos devem adotar.
Os dermatologistas também citam outros problemas provocados pela maior exposição ao sol, como as queimaduras solares, herpes labial, brotoejas e micoses. Luciana Velloso sugere ficar em locais mais frescos e usar roupas leves, para evitar as brotoejas. “Por sua vez, os fungos, que são os microrganismos que causam as micoses, crescem mais em locais úmidos e abafados. Então é importante manter as dobras corporais, como virilha, axilas e os espaços entre os dedos, bem secas”, recomenda a dermatologista.