Dermatologia ensina como evitar o contágio e acabar com os piolhos

saude-cuidados-piolho

É só começar a falar sobre piolho para a cabeça coçar. Não poderia ser diferente, afinal, quem nunca sofreu com esse incômodo durante a infância ou, ao menos, conheceu alguém que pegou? As tristes recordações ficam ainda mais vivas na memória de todos neste período do ano, quando as aulas voltam com tudo e, comumente, começa a se alardear os casos de contágio por piolho nas escolas.

Os piolhos são insetos muito pequenos que vivem no couro cabeludo e que podem ser transmitidos pelo contato próximo com outras pessoas. Não à toa, as crianças em idade em idade escolar, mais acostumadas a proximidade com os amiguinhos e a dividir bonés, gorros e presilhas, são vítimas frequentes destes parasitas.

Ao contrário do que alguns pensam, no entanto, o contágio não está relacionado à sujeira do couro cabeludo. É o que explica a especialista, Ana Mósca.

“Piolho escolhe suas vítimas devido a determinados aspectos e qualidades particulares do cabelo. O contagio não está relacionado a uma falta de higiene. Na verdade, o principal alvo destes insetos são os cabelos finos e, sobretudo, úmidos. O cabelo molhado ou úmido favorece o contágio pelo piolho” – afirma a dermatologista.

Como forma de prevenção ao piolho, Ana Mósca orienta aos pais que não deixem seus filhos irem de cabelo molhado para escola, principalmente, em épocas de epidemia de piolho. Outra recomendação é que se use secador de cabelo nas crianças, pelo menos, de duas a três vezes por semana.

Caso seu filho tenha sido contagiado pelo piolho, não há motivos para grandes pânicos, mas, é claro, desde que trate o problema da forma adequada. Embora o piolho não transmita doença, algumas pessoas podem desenvolver infecção bacteriana por causa dos arranhões causados pela coceira intensa. Ana Mósca indica o passo necessário para por fim a uma infestação.

– É fundamental que se aplique o remédio contra o piolho nos cabelos secos. Ainda com o remédio, deve passar vinagre morno na cabeça. O vinagre é importante porque ele remove uma substância gelatinosa, o cemento, que adere ao pelo nos locais onde estão agregados os ovos do piolho. Por último, devem-se lavar os cabelos com shampoo normal e secar os cabelos com o secador, mantendo-os desidratados. O procedimento deverá ser repetido durante três dias.

Para evitar um novo contágio, bastante frequente, a dermatologista destaca a importância de se usar ferro, secador ou expor ao sol todos os lugares em que o indivíduo contaminado passou o cabelo. A medida serve para matar os ovos de piolho e impedir o início de um novo ciclo.

Foto: Divulgação

-- --