Seis de cada dez brasileiros consideram abusivos os preços de energia elétrica

Consumo energia luz

Seis de cada dez cidadãos consideram abusivas as tarifas praticadas atualmente no setor elétrico brasileiro. Pesquisa encomendada ao Ibope em todo o País pela Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel) revela também que 88% da população avalia os preços como caros ou muito caros.

A população mais instruída (62% dos que contam com curso superior), com renda superior a cinco saleiros mínimos (64%), pertencente àclasse AB (65%), com idade entre 25 e 34 anos (63%), éa mais contundente ao apontar o abuso nos preços no setor de energia elétrica.“Os dados revelam que, mais uma vez, a classe média brasileira éa mais atingida pelos recentes aumentos nas tarifas”, afirma Reginaldo Medeiros, presidente da Abraceel.

A pesquisa foi encomendada como subsídio para a campanha A Energia para Voltar a Crescer éLivre, promovida pela Abraceel, com apoio da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e mais 60 empresas e organizações da sociedade civil. A iniciativa tem como objetivo promover a liberalização do setor elétrico brasileiro, por meio da aprovação do projeto de lei da Portabilidade da Conta de Luz.

“O Congresso Nacional jáse sensibilizou para conceder o direito da liberdade de escolha de fornecedor de energia para o cidadão, como jáocorre nos países da União Europeia, dos Estados Unidos, do Canadáe atémesmo nações latino-americanas, como a Colômbia”, explica Medeiros.

Atualmente, os poucos consumidores brasileiros que podem escolher seu fornecedor, sobretudo grandes indústrias e empresas, contam com tarifas 20% menores do que as praticadas no mercado cativo. Para o presidente da Abraceel, isso éum sinal inequívoco de como a ampliação da liberdade de escolha para todos os consumidores, inclusive os residenciais, pode contribuir para a queda dos preços. “Isso vai significar, além de maior competitividade para a indústria, um fator determinante para reduzir a indexação dos contratos no setor, contribuindo assim para a queda nas taxas de inflação”, complementa Medeiros.

A pesquisa Ibope sobre o setor de energia elétrica contou com 2.002 entrevistas realizadas em todo o Brasil, com pessoas acima de 16 anos. O intervalo de confiança éde 95% e a margem de erro meariam estimada éde 2 pontos percentuais para cima ou para baixo sobre os resultados encontrados na amostra.

-- --