Chocolate: o alimento dos deuses

A comprovação da qualidade funcional do chocolate se deve, principalmente, aos diversos estudos realizados por diferentes instituições, cujos resultados demonstram que, assim como o vinho tinto, quando ingerido em quantidades moderadas, torna-se um importante aliado da saúde e do bem-estar. “Estes valores nutritivos do chocolate se devem principalmente ao cacau, grande fornecedor de compostos bioativos como flavonóides e polifenóis, antioxidantes naturais que têm a propriedade de intensificar a função endotelial por meio da ativação do sistema de síntese do óxido nítrico e da diminuição de coágulos nos vasos sanguíneos. O que auxilia, até mesmo, na prevenção de doenças do coração”, explica a nutricionista funcional Dra. Flávia Ferreira Sguario.

De acordo com a especialista, o consumo diário de até 40 gramas de chocolate, que possua mais de 55%* de cacau em sua composição (taxa encontrada com maior facilidade nos chocolates amargos), consegue controlar os radicais livres do nosso organismo, moléculas que, em excesso, podem prejudicar a estabilidade das células. “Esta funcionalidade do chocolate reduz as concentrações do colesterol ruim (LDL), aumenta o colesterol bom (HDL) e retarda o processo de envelhecimento celular”. Além disso, ela explica que o chocolate contribui para a ampliação da produção de hormônios, como a endorfina e a serotonina. “A mistura mágica de gordura, açúcar, aroma e textura, faz com que a maioria das pessoas não resista aos encantos e sabores do chocolate. Para intensificar este processo, o chocolate favorece a produção de hormônios que estão diretamente ligados ao bem-estar. Por estes motivos, tornou-se um alimento tão difundido e apreciado”.

Para a Dra. Flávia Sguario, além destas características sensoriais despertadas pelo chocolate, nosso organismo possui um mecanismo de autodefesa e automedicação, que busca, nos alimentos, soluções para deficiências nutricionais e desequilíbrios de neurotransmissores que regulam o humor. “A deficiência de magnésio, por exemplo, afeta a produção de dopamina, neurotransmissor relacionado à alegria e satisfação. A cada 100 gramas de chocolate consumidas, nosso organismo consegue absorver 100 miligramas de magnésio, quantidade suficiente para melhorar consideravelmente o humor das pessoas”.

-- --