Inadimplência com cheques atinge segundo maior nível da história para o mês de maio, aponta Serasa Experian

Cheques devolvidos Serasa Inadimplência com cheques

Percentual de devoluções por insuficiência de fundos no Brasil foi de 2,39%. Região Centro-Oeste registrou aumento em quase todos os estados. Amapá registrou o maior percentual de devoluções no acumulado dos cinco meses de 2016: 18,50% do total de emissões. Já São Paulo, registrou o menor índice do país de janeiro a maio, com 1,83% de cheques devolvidos

No Brasil, o percentual de devoluções de cheques pela segunda vez por insuficiência de fundos foi de 2,39% em maio deste ano, revela o Indicador Serasa Experian de Cheques Sem Fundos. Trata-se do segundo maior patamar registrado desde 1991 para o mês de maio, quando a Serasa passou a fazer o estudo. Foram 1.208.897 devolvidos e 50.622.591 cheques compensados. O maior nível foi em 2009, com 2,52% de cheques devolvidos.

No mês anterior, abril, registrou-se 2,38% de devoluções, com 1.120.883 cheques que voltaram e 47.044.915 compensados. Um ano antes, em maio de 2015, o percentual de devoluções havia sido de 2,29%, com 1.240.713 cheques devolvidos e 54.074.511 compensados.

Segundo os economistas da Serasa Experian, o aumento do desemprego no país e a queda do rendimento médio da população estão impulsionando a inadimplência do consumidor em praticamente todas as suas modalidades, sendo a de cheques uma delas.

Nos Estados e regiões
Na avaliação dos primeiros cinco meses de 2016 entre as regiões do país, a liderança de devoluções foi do Norte, com 4,60% de cheques devolvidos no período. O Sudeste foi a região que apresentou o menor percentual de devoluções entre janeiro e abril de 2016: 1,99%.

Já entre os estados, o Amapá liderou o ranking de cheques sem fundos de janeiro a maio deste ano, com 18,50% de devoluções. Na outra ponta, São Paulo foi o estado com o menor percentual de cheques devolvidos (1,83%).

Em todo o país, a devolução de cheques em maio/16 foi de 2,39% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 2,38% registrada em abril/16 e também maior que o percentual de devoluções de cheques um ano antes, em maio/15, quando o número foi de 2,29%.

Na Região Norte, a devolução de cheques em maio/16 foi de 4,33% do total de cheques compensados, menor que a devolução registrada no mês anterior, abril/16, quando o percentual foi de 4,42%, e também maior que os 4,03% registrado em maio/15.

Região Sul
Na Região Sul, a devolução de cheques em maio/16 foi de 2,07% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 2,05% registrada em abril/16. Em maio/15, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos na Região Sul havia sido de 2,08% do total de cheques compensados.

No Paraná, a devolução de cheques em maio/16 foi de 2,04% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 2,01% registrada em abril/16. Em maio/15, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Paraná havia sido de 2,00% do total de cheques compensados.

No Rio Grande do Sul, a devolução de cheques em maio/16 foi de 2,13% do total de cheques compensados, menor que a devolução de 2,17% registrada em abril/16. Em maio/15, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Rio Grande do Sul havia sido de 2,13% do total de cheques compensados.

Em Santa Catarina, a devolução de cheques em maio/16 foi de 2,05% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 1,97% registrada em abril/16. Em maio/15, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos em Santa Catarina havia sido de 2,14% do total de cheques compensados.

 

 

Região Sudeste
Na Região Sudeste, a devolução de cheques em maio/16 foi de 1,98% do total de cheques compensados, menor que a devolução de 1,97% registrada em abril/16. Em maio/15, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos na Região Sudeste havia sido de 1,85% do total de cheques compensados.

No Espírito Santo, a devolução de cheques em maio/16 foi de 2,53% do total de cheques compensados, menor que a devolução de 2,51% registrada em abril/16. Em maio/15, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Espírito Santo havia sido de 2,65% do total de cheques compensados.

Em Minas Gerais, a devolução de cheques em maio/16 foi de 2,24% do total de cheques compensados, menor que a devolução de 2,20% registrada em abril/16. Em maio/15, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos em Minas Gerais havia sido de 2,16% do total de cheques compensados.

No Rio de Janeiro, a devolução de cheques em maio/16 foi de 2,14% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 2,11% registrada em abril/16. Em maio/15, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Rio de Janeiro havia sido de 1,82% do total de cheques compensados.

Em São Paulo, a devolução de cheques em maio/16 foi de 1,81% do total de cheques compensados, menor que a devolução de 1,82% registrada em abril/16. Em maio/15, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos em São Paulo havia sido de 1,68% do total de cheques compensados.
Região Norte
No Acre, a devolução de cheques em maio/16 foi de 7,74% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 7,51% registrada em abril/16. Em maio/15, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Acre havia sido de 6,50% do total de cheques compensados.

No Amazonas, a devolução de cheques em maio/16 foi de 6,91% do total de cheques compensados, menor que a devolução de 6,99% registrada em abril/16. Em maio/15, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Amazonas havia sido de 6,01 % do total de cheques compensados.

No Amapá, a devolução de cheques em maio/16 foi de 18,61% do total de cheques compensados, menor que a devolução de 19,12% registrada em abril/16. Em maio/15, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Amapá havia sido de 14,24% do total de cheques compensados.

No Pará, a devolução de cheques em maio/16 foi de 6,38% do total de cheques compensados, menor que a devolução de 6,68% registrada em abril/16. Em maio/15, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Pará havia sido de 5,49% do total de cheques compensados.

Em Rondônia, a devolução de cheques em maio/16 foi de 2,04% do total de cheques compensados, menor que a devolução de 2,06% registrada em abril/16. Em maio/15, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos em Rondônia havia sido de 2,03% do total de cheques compensados.

Em Roraima, a devolução de cheques em maio/16 foi de 10,02% do total de cheques compensados, menor que a devolução de 10,83% registrada em abril/16. Em maio/15, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos em Roraima havia sido de 8,88% do total de cheques compensados.

No Tocantins, a devolução de cheques em maio/16 foi de 4,52% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 4,33% registrada em abril/16. Em maio/15, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Tocantins havia sido de 4,26% do total de cheques compensados.
Região Nordeste
Na Região Nordeste, a devolução de cheques em maio/16 foi de 4,59% do total de cheques compensados, menor que a devolução de 4,75% registrada em abril/16. Em maio/15, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos na Região Nordeste havia sido de 4,55% do total de cheques compensados.

Em Alagoas, a devolução de cheques em maio/16 foi de 5,27% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 5,12% registrada em abril/16. Em maio/15, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos em Alagoas havia sido de 5,36% do total de cheques compensados.

Na Bahia, a devolução de cheques em maio/16 foi de 4,09% do total de cheques compensados, menor que a devolução de 4,12% registrada em abril/16. Em maio/15, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos na Bahia havia sido de 3,95% do total de cheques compensados.

No Ceará, a devolução de cheques em maio/16 foi de 4,87% do total de cheques compensados, menor que a devolução de 5,08% registrada em abril/16. Em maio/15, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Ceará havia sido de 4,85% do total de cheques compensados.

No Maranhão, a devolução de cheques em maio/16 foi de 9,01% do total de cheques compensados, menor que a devolução de 9,31% registrada em abril/16. Em maio/15, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Maranhão havia sido de 7,88% do total de cheques compensados.

Na Paraíba, a devolução de cheques em maio/16foi de 4,83% do total de cheques compensados, menor que a devolução de 4,91% registrada em abril/16. Em maio/15, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos na Paraíba havia sido de 4,88% do total de cheques compensados.

Em Pernambuco, a devolução de cheques em maio/16 foi de 3,48% do total de cheques compensados, menor que a devolução de 3,73% registrada em abril/16. Em maio/15, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos em Pernambuco havia sido de 3,66% do total de cheques compensados.

No Piauí, a devolução de cheques em maio/16foi de 6,62% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 6,60% registrada em abril/16. Em maio/15, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Piauí havia sido de 6,45% do total de cheques compensados.

No Rio Grande do Norte, a devolução de cheques em maio/16 foi de 5,25% do total de cheques compensados, menor que a devolução de 5,64% registrada em abril/16. Em maio/15, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Rio Grande do Norte havia sido de 5,24% do total de cheques compensados.

Em Sergipe, a devolução de cheques em maio/16 foi de 4,77% do total de cheques compensados, menor que a devolução de 5,09% registrada em abril/16. Em maio/15, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos em Sergipe havia sido de 4,96% do total de cheques compensados.
Região Centro-Oeste
Na Região Centro-Oeste, a devolução de cheques em maio/16 foi de 3,13% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 3,06% registrada em abril/16. Em maio/15, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos na Região Centro-Oeste havia sido de 3,02% do total de cheques compensados.

No Distrito Federal, a devolução de cheques em maio/16 foi de 3,98% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 3,65% registrada em abril/16. Em maio/15, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Distrito Federal havia sido de 3,32% do total de cheques compensados.

Em Goiás, a devolução de cheques em maio/16 foi de 3,13% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 3,07% registrada em abril/16. Em maio/15, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos em Goiás havia sido de 3,16% do total de cheques compensados.

No Mato Grosso do Sul, a devolução de cheques em maio/16 foi de 2,68% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 2,64% registrada em abril/16. Em maio/15, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Mato Grosso do Sul havia sido de 2,51% do total de cheques compensados.

No Mato Grosso, a devolução de cheques em maio/16 foi de 2,83% do total de cheques compensados, menor que a devolução de 2,90% registrada em abril/16. Em maio/15, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Mato Grosso havia sido de 2,86% do total de cheques compensados.

-- --