CDL POA e Sindilojas Porto Alegre realizam pesquisa de consumo para o Dia dos Pais 2016

presentes dia dos pais

O comércio da Capital gaúcha se prepara para um farto Dia dos Pais. Esta é a constatação de pesquisa realizada em parceria entre a CDL POA e o Sindilojas Porto Alegre sobre o comportamento do consumidor para a data. De acordo com o levantamento, a comemoração deve movimentar R$ 56,77 milhões, praticamente o mesmo saldo de 2015 (que fechou em R$ 56,58 milhões).

Na avaliação de Alcides Debus, presidente da CDL Porto Alegre, apesar da projeção de vendas não ser muito diferente da do ano anterior, os Pais devem ser muito lembrados nesta data. “Os patriarcas que desejam ganhar roupas, calçados e acessórios irão ficar muito felizes no dia 14 de agosto”, garantiu. Isso porque, a maioria dos entrevistados diz que pretende dar, justamente, estes itens: quase a metade das pessoas que participaram do estudo (44%) pretende comprar roupa (de presente), seguida de calçados (10%), perfumaria (8%), objeto decorativo (5%), livro (5%) e carteira 3%. Outro ponto é que as temperaturas mais baixas deste ano prometem estimular a compra destes produtos.

O presidente do Sindilojas Porto Alegre, Paulo Kruse, concorda que o cenário é de comemoração para os lojistas da Capital. “Em época de crise no País, a projeção de movimentação financeira para o Dia dos Pais é positiva. Afinal, mesmo com o aumento da inflação e a promessa de parcelamento de salários dos servidores públicos estaduais, mais uma vez o lado emotivo da data prevalece e mostra que os consumidores podem até dividir o custo do presente com familiares, mas pai é pai e nunca deixa de ser presenteado”, comenta.

O valor do ticket médio deve ficar em torno de R$ 132,80. Na comparação com o valor gasto na comemoração do ano passado, a maioria dos consultados (43%) afirma que manterá a mesma quantia investida e 19% diz que aumentará um pouco, 17% diminuirá um pouco e 3% diminuirá muito. Sobre a previsão de gastos no presente principal, 18% afirmam que devem dispender até R$ 50; 41% de R$ 51 a R$ 100; 28% de R$ 101 a R$ 200; 7% de R$ 201 a R$ 300 e 6% de R$ 301 a R$ 400.

Pagamento à vista deve ser a modalidade preferida este ano: 34% afirmam que pretendem pagar em dinheiro, 27% por cartão de débito, 25% com cartão de crédito parcelado, 14% em cartão de crédito em uma vez e 1% a prazo, no crediário. O cheque, definitivamente, está em desuso: ninguém apontou esta modalidade de pagamento.
Os shoppings e as lojas de rua devem atrair a maior parte dos consumidores neste Dia dos Pais, segundo a pesquisa, 58% dizem que irão comprar o presente do patriarca em shopping, seguido por loja de rua (32%), internet (7%) e revendedor (2%).

A importância do bom atendimento
Nos dias de hoje, não basta ter o produto certo, o preço justo e as melhores condições de pagamento. Para que o cliente compre, é fundamental ser bem recebido pela equipe da loja.

Mais de 85,38% dos entrevistados já deixaram de comprar por ser mal recepcionado na loja. Entre os fatores que fazem com que o cliente deixe de comprar algo, mesmo tendo o produto que deseja, o atendimento aparece, em disparado, no primeiro lugar (61%), seguido do preço (32%) e condições de pagamento (4%).

Quando questionados sobre a capacidade técnica da equipe da loja em saber explicar bem sobre o produto que vende, 40% afirmaram que “eventualmente” se deparam com profissionais eficientes, 40% dizem que “frequentemente”, 6,9% afirmaram que “sempre”, 10,9% “raramente” e 1,9% “nunca”.

Uma parte bem-humorada do levantamento, realizado pela Vitamina Pesquisa, classificou os tipos de atendimento, de forma inusitada e irreverente. Para o bem dos consumidores, o “eficiente” ficou em primeiro lugar (36,4%). Entre as categorias, o tipo “bipolar” (começa com um sorriso, mas fecha a cara se você não leva o produto) foi o terceiro tipo mais citado (26,1%). O atendimento “forçado” obteve 28,8% da amostra, seguido do “sem noção” (4,6%) e do “desinformado” (3,9%).

Sobre a pesquisa

A amostra contou com 300 participantes, homens e mulheres, acima de 18 anos de idade, das classes A, B C, D e E. A pesquisa realizada pela Vitamina Pesquisa.

-- --