Caxias do Sul – Mesmo em nível ainda baixo economia local dá sinais de estabilização

Caxias do Sul - Foto Allimpress
Caxias do Sul – Foto Allimpress

A economia de Caxias do Sul registrou alta de 1,9% em maio, na comparação com abril. O comércio apresentou o melhor desempenho, com alta de 10%, enquanto a indústria cresceu 1,6%. Os serviços, porém, tiveram queda de 2% em suas atividades no período. É o que mostra a pesquisa realizada pela Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul (CIC) e Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), divulgada na quinta-feira (30.06.16).

Na comparação com maio de 2015, a economia caxiense, no entanto, registrou queda de 9,2%. No acumulado dos últimos 12 meses, a queda foi maior: menos 18,25%. No acumulado de janeiro a maio também houve redução, dessa vez de 12,4% na economia local. Houve desempenho negativo, na comparação entre maio e abril deste ano, de apenas um dos itens que compõem o Índice de Desempenho Industrial (IDI/Caxias): capacidade instalada (-2,7%). Os demais componentes apresentaram crescimento em índices que variam de 0,2% a 6,8%. Na comparação com maio de 2015, houve queda de 9,4% no comportamento geral da indústria, e no acumulado do ano, a redução foi de quase 15%.

Para o diretor de Economia, Finanças e Estatística da CIC Astor Schmitt, mesmo que em nível ainda bastante baixo, a economia vem se estabilizando. “Parou de piorar”, afirmou Schmitt. Ele também acredita que o fato de as compras e vendas industriais apresentarem altos índices de redução no ano de 2016 significa que as indústrias estão consumindo os estoques, e esse comportamento sempre precede a retomada da produção.

No comércio exterior, a pesquisa também apontou alta de 29,5% no saldo da balança comercial, em maio em relação a abril, situando-se em US$ 487 milhões no acumulado dos últimos 12 meses. As exportações registraram alta de 16,9%, enquanto as importações caíram quase 11% em maio em relação a abril deste ano. No acumulado de 2016, o saldo da balança comercial é positivo em 16,4%. No destino das exportações caxienses em maio, a Argentina se situa na primeira posição, com 15%, seguido por Chile, Estados Unidos, México, Peru, Uruguai, China e Equador. Já entre os países de origem das importações caxienses, a China se mantém na liderança, com 38%.
Empregos

No mês de maio, foram reduzidos 779 postos de trabalho, uma queda de 0,5% no total de empregos formais, cujo estoque hoje é de 163.412. Na indústria, foram 579 empregos a menos. O comércio abriu 57 novas vagas em maio. “De meados de 2014 até agora Caxias do Sul amargou a perda de 20 mil empregos, e isso é muito ruim. O auge do desemprego foi em 2015. Agora, esse ritmo vem caindo. A redução do emprego deverá continuar por algum tempo, mas em ritmo menor”, comentou Astor Schmitt.

Também participaram da coletiva de apresentação do desempenho da economia de Caxias do Sul o diretor-executivo da CIC, Victor Hugo Gauer, o diretor da CDL Ivonei Pioner e a assessora de Economia, Finanças e Estatística da CIC, Nara Panazzolo.