Carboxiterapia no combate à celulite

carboxiterapia-tratamento-celulite

Não é segredo para ninguém que grande parte das mulheres atualmente queixa-se constantemente sobre alguns detalhes do corpo, que gostariam de mudar. No topo da lista aparece a grande vilã do público feminino: a celulite, esses furinhos que se acumulam em regiões como coxas, glúteos e barriga e não escolhem vítimas, cerca de 80% a 90% das mulheres sofre com o problema.

Essas “depressões” na pele tendem a surgir por mudanças estruturais da derme, como também pela predisposição genética e acúmulo de gordura e líquidos nas células. A falta de atividades físicas e a má alimentação contribuem muito para seu desencadeamento, não é à toa que os sintomas estão aparecendo cada vez mais cedo na vida das mulheres.

De acordo com pesquisas realizadas, os procedimentos estéticos mais procurados nas clínicas são aqueles destinados aos tratamentos de flacidez e celulite, principalmente no Verão, onde a busca cresce vertiginosamente. Mas, no Inverno a procura também é grande.

“A aparência que esses problemas causam à pele é o que desagrada boa parte das pacientes, pois as impedem de usar algumas roupas e abalam sua autoestima”, explica Lorice Miguel, Fisioterapeuta Especialista em Dermato-Funcional, diretora  do method Leduc no Brasil.

Para a especialista, essa é a razão do sucesso desses procedimentos. A maioria deles consegue minimizar bem o aspecto das lesões e deixá-las quase imperceptíveis. Além disso, após consultarem os resultados, as pacientes tendem a cuidar melhor da saúde e alimentação para evitar que os furinhos reapareçam.

A Carboxiterapia, por exemplo, vem se destacando entre os procedimentos disponíveis no mercado. Além de já ser a preferida de muitas celebridades, a técnica tem eficácia comprovada e é um dos tratamentos mais potentes contra celulite, flacidez e gordura localizada.

O tratamento consiste na infusão de gás carbônico nas camadas da pele com uma agulha fina promovendo uma reação química que melhora a oxigenação dos tecidos e, por consequência, a circulação sanguínea. Desse modo, consegue facilitar a eliminação de toxinas e melhorar a captação de nutrientes pelas células. O que já ajuda a melhorar a aparência das depressões, pois quando os tecidos estão bem oxigenados o corpo tende a queimar mais gordura, melhorar a cicatrização e produzir mais colágeno. Assim, após algumas semanas já é possível notar os resultados.

Para celulite, o CO2 é aplicado entre a pele e a gordura, já no caso das estrias é aplicado diretamente na lesão.

“A Carboxiterapia estimula a produção de colágeno e as fibras elásticas, por isso é indicada para o tratamento de estrias, uma vez que elas se desenvolvem do rompimento dessas fibras”, explica a Lorice Miguel.

De acordo com Lorice Miguel, são necessárias de 10 a 12 sessões dessa terapia (e em alguns casos, usamos protocolos combinados com outras técnicas para obtermos mais resultados), e a frequência varia de acordo com as características de cada paciente.

Gestantes, pessoas que sofram de doenças infecciosas, portadoras de marca-passo, entre outras patologias graves não devem se submeter ao procedimento.

As mulheres podem se beneficiar dessa técnica e ficar mais bonitas, apresentando o corpo das famosas. Julia Pereira, Luciana Gimenez, Gabriela Martins, modelos e apresentadoras de renome internacional são adeptas a esse método, dentre outros.

 

 

-- --