CDL Jovem de Caxias do Sul promove Campanha de Impostos 2015 com o tema "Qual o tamanho da mordida?"

campanha-de-impostos-dia-da-liberdade-de-impostos-cdl-jovem-de-caxias-do-sul
“Qual o tamanho da mordida?” é o tema de ação promovida pela CDL Jovem Caxias do Sul que visa conscientizar sobre a carga tributária presente nos bens de consumo

Com a meta de formar cidadãos mais críticos e participativos, a CDL Jovem de Caxias do Sul, lança a Campanha de Impostos 2015 sob o mote “Qual o tamanho da mordida?”. A ação visa esclarecer e conscientizar a população sobre a carga tributária embutida nos bens de consumo. As atividades vão ocorrer entre os dias 18 e 21 de maio de 2015, em virtude do Dia da Liberdade de Impostos, realizado em 21 de maio.

A grande ação ocorre dia 21 de maio, na praça Dante Alighieri, de Caxias do Sul, e no Centro de Convivência da UCS. Na ocasião a CDL Jovem oferecerá sanduíches para o consumidor, propondo a apresentação de uma nova marca na cidade. Enquanto o lanche é preparado, os representantes da CDL Jovem chamarão a atenção para a causa da carga tributária no país.

Com o mesmo propósito, o Departamento Jovem da CDL Caxias vai promover o evento Fim de Tarde, com a palestra “Tributação na Medida”, ministrada por Ângelo Henrique Bertuzzi, no dia 19 de maio, no Palácio do Comércio. O encontro é aberto ao público e as reservas podem ser realizadas pelo telefone (54) 3209.9977 ou pelo e-mail ana.maria@cdlcaxias.com.br .

A presidente da CDL Jovem, Gabriele Piccole, explica que a campanha tem o intuito de alertar o consumidor sobre a quantidade de impostos que ele paga. “As ações têm o objetivo de mostrar de forma clara e dinâmica a alta carga tributária do País. Queremos gerar uma conscientização e despertar o interesse da população para esse tema que impacta diretamente no custo de vida de todos”.

Dia da Liberdade de Impostos
O Dia da Liberdade de Impostos é comemorado em todo o Brasil. A data (21 de maio), marca simbolicamente a época do ano em que o contribuinte consegue quitar o pagamento de tributos, taxas e contribuições ao Estado (em todas as esferas) podendo, a partir de então, usufruir dos seus rendimentos na sua integralidade. É como se, até o dia 21 de maio, tudo o que os brasileiros recebem como remuneração pelo seu trabalho fosse destinado aos governos, para pagar impostos.

-- --