Bruxismo pode ser ocasionado pelo estresse e ansiedade do dia a dia

mulher sorriso boca labios

Problema com a saúde bucal pode ter relação com os hábitos impostos pela vida moderna. Eventualmente as pessoas estão cada vez mais estressadas ou ansiosas por alguma coisa. Uma boa noite de sono pode resolver este problema, por isso, algumas pessoas aproveitam para

descansar após o dia corrido de trabalho, para alguns isso pode até resolver, mas outros o sofrimento pode vir quando tentam ter uma noite tranquila. O cirurgião dentista especialista em periodontia e implantodontia, Dr. Rogério Penna da NOAC Odontologia (GO) explica quea tensão provocada pelo estresse ou ansiedade do dia a dia, pode impedir que algumas doenças bucais se recuperem e outras virem a aparecer, é o caso do bruxismo.

“A qualidade de vida interfere bastante quando falamos em saúde bucal, isso por que muitas pessoas acham que se dedicar apenas a uma boa limpeza na boca já é o bastante para se ter dentes saudáveis, engana-se quem pensa assim! Doenças bucais podem ocorrer de várias maneiras, é preciso ter saúde por completo, mantendo uma boa alimentação e bem estar, isso pode fazer com que seu corpo funcione adequadamente, caso contrário, outras podem vir a surgir, causando incômodo. É o caso do bruxismo, alguns pacientes podem ranger os dentes (apertar involuntariamente a mandíbula) não somente quando estão dormindo, mas durante o dia”, disse.

O bruxismo pode acontecer num momento de raiva ou ansiedade, a pessoa range os dentes involuntariamente quando passam por momentos desconfortáveis ou angustiantes. O problema deve ser resolvido o quanto antes, pois os dentes podem sofrer desgastes em determinados pontos do esmalte e da dentina, pondo em risco não só o sorriso, como também o formato do rosto. Dor no maxilar, dor generalizada na face, dor de cabeça, dor de ouvido, perturbações no sono, tensão e rigidez nos ombros também são sintomas comuns de quem sofre de bruxismo.

De acordo com o especialista o bruxismo pode fazer com que a pessoa também desenvolva alta sensibilidade nos dentes, deixando-os sensíveis a bebidas quentes ou frias e alimentos cítricos. “Além da sensibilidade, notamos que algumas doenças podem vir a aparecer quando uma pessoa está passando por algum problema no emocional. Doenças como herpes labial, aftas, mau hálito e periodontite são adquiridas também através das emoções. Caso o paciente tenha frustações, desequilíbrio emocional, ansiedade ou sentimentos ruins podem fazer com que ele adquira não só o bruxismo quanto essas citadas e muitas outras”, ressalta.

Problemas correlacionados a cavidade oral (gengiva), podem provocar um comprometimento no tecido ósseo que dá suporte ao dente. O não tratamento pode levar a um problema culminando na perda do dente. “É preciso tratar o quanto antes problemas emocionais, eles podem impactar diretamente causando doenças na boca fazendo com que todos os dentes ou maioria sejam perdidos. Na maioria dos casos é preciso que haja acompanhamento psicológico para ajudar na recuperação do paciente, fazemos um trabalho conjunto com psicólogos para tratar este paciente”, alerta Dr. Rogério.

Segundo a psicóloga Dra. Letícia Guedes da Clínica Vivencialle, os problemas relacionados devem ser acompanhados para que não possam ter evolução, podendo agregar problemas na saúde de todo o corpo. “É comum recebermos clientes para o tratamento de estresse, ansiedade, dificuldade em dormir entre outros. O principal fator colaborativo para problemas emocionais podem ser decorrentes de vários acontecimentos, dentre eles os vividos diariamente, seja por uma rotina de vida corrida, cobranças pessoais, família, amigos e etc. O bruxismo pode ser ocasionado por essas emoções sobrecarregadas, o que acaba afetando o bem estar da pessoa”, orienta Dra Letícia.

A especialista recomenda que a pessoa procure fazer atividades físicas, tirar a sobrecarga do trabalho nos horários de lazer, buscar por coisas que deixam a pessoa mais contente e menos estressada. Dr. Rogério ressalta que em casos graves o paciente pode apresentar estalos ao mexer a boca, seja para falar ou para se alimentar. O acompanhamento psicológico pode ajudar o paciente a se restabelecer uma reeducação postural – tudo para que o paciente durma sem apertar ou ranger os dentes, agindo no controle das forças musculares exercidas em todo o sistema articular. “Em alguns casos é preciso fazer o uso de anti-inflamatórios prescritos por determinado período”, observa.

Foto : AllImpress

-- --