Feriados Nacionais : Varejo brasileiro reclama enquanto outros comemoram

Feriados Nacionais : Varejo brasileiro : Brasil Notícias


Os feriados nacionais não são o maior problema para o pais pois se algum setor perde outros ganham. Já o modelo econômico adotado pelo governo Michel Temer (PMDB) e Henrique Meirelles, prejudica toda população gerando perdas em todos os segmentos.

Segundo análise da Fecomercio/SP, setor de vestuário, tecidos e calçados deve perder em torno de R$ 1,3 bilhão, crescimento de 25% em relação a 2017. As perdas podem ser maiores com o arrocho salarial nos dissídios, desemprego, aumento de impostos e valor do salário mínimo abaixo do esperado. O modelo econômico avalizado pela Entidade é mais danoso aos negócios que os feriados, os quais, incrementam outros setores como de turismo, gastronomia e transporte.

Feriados
2018 terá nove feriados nacionais e cinco pontos facultativos. Desse total, cinco serão imprensados (quatro na sexta-feira e um na segunda-feira). Dos facultativos, dois e meio serão no período de Carnaval, que será realizado nos dias 12 a 14 de fevereiro. Os feriados foram publicados no Diário Oficial da União.

Estimativas da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) apontam que o comércio varejista brasileiro deve perder R$ 11,3 bilhões em 2018 em decorrência dos feriados nacionais e pontes. Esse montante é 15% superior ao dado projetado em 2017. Esse aumento é motivado exclusivamente pela projeção de crescimento nas vendas do comércio para o próximo ano, uma vez que o número de feriados e pontes em 2018 será o mesmo que em 2017.

As perdas das lojas de vestuário, tecidos e calçados devem atingir R$ 1,3 bilhão, crescimento de 25% em relação a 2017, a maior taxa de crescimento entre as cinco atividades avaliadas. Em termos de faturamento, o destaque é o segmento de outras atividades, que perderá em torno de R$ 4,6 bilhões, 13% a mais que em 2017. É importante ressaltar que nesse grupo, é preponderante o comércio de combustíveis, além de joias e relógios, artigos de papelaria, dentre outros.

Já os setores ligados aos bens essenciais devem participar com 38% do total da perda no próximo ano. Segundo as estimativas da Federação, o segmento de supermercados deve deixar de faturar pouco mais de R$ 2,7 bilhões, 7% acima do calculado para 2017, enquanto as farmácias e perfumarias tendem a registrar perda de R$ 1,6 bilhão, 18% superior a 2017.

Nos cálculos, a FecomercioSP desconsiderou os feriados estaduais e municipais, que também prejudicam, em média, a atividade comercial. Além disso, foram excluídos os setores que comercializam bens duráveis, como veículos, eletrodomésticos e materiais de construção, pois são consumos planejados, de modo que, independentemente de feriados ou pontes, a compra será realizada.

Assim, o estudo se limitou aos feriados nacionais e aos setores passíveis de sofrerem uma redução no ritmo de vendas, em que a compra por impulso é relevante, uma vez que os produtos, em grande parte, têm valor unitário mais baixo, como os que compõem o setor de roupas e calçados e perfumaria e cosméticos. Os impactos da Copa do Mundo, que será realizada entre os meses de junho e julho em que o Brasil jogará em dias de semana, também não foram considerados.

Sensatez
Na análise da Entidade, não há espaço para a discussão de revisão de pontes e feriados, porque outros segmentos econômicos importantes se beneficiam desse período, principalmente aqueles ligados ao turismo, como transporte, hospedagem, passeios e cultura. Vale ressaltar também que o calendário com essas datas específicas já está estabelecido e consolidado, e cabe a cada empresa definir sua estratégia para esses períodos.

Ano de recuperação
Para vice-presidente da Abav-PB (Associação Brasileira das Agências de Viagens, seccional Paraíba), Luciano Lapa, 2018 será marcado pela intensificação do turismo interno e feito por grupos. “Quem escapou em 2017, 2018 será fichinha”, disse o empresário. “A queda do dólar e do euro trouxe ânimo para as agências de viagens, que puderam formatar seus pacotes de olho nos mercados internos e externos. Os pacotes para a Disney, por exemplo, voltaram a ser atrativos, mas, sobretudo, os clientes começaram a viajar para mais longe, abrindo mão dos destinos vizinhos e os hotéis e resorts nacionais. Também destinos como Foz do Iguaçu, ou os parques temáticos, começaram a ser mais procurados e ter mais saídas”, comentou.

Lista dos feriados nacionais de 2018:
1 de janeiro (segunda): Confraternização Universal
30 de março (sexta): Paixão de Cristo
21 de abril (sábado): Tiradentes
1º de maio (terça): Dia Mundial do Trabalho
7 de setembro (sexta): Independência do Brasil
12 de outubro (sexta): Nossa Senhora Aparecida
2 de novembro (sexta): Finados
15 de novembro (quinta): Proclamação da República
25 de dezembro (terça): Natal

Datas em que o ponto será facultativo nas repartições federais:
12 de fevereiro (segunda): Carnaval
13 de fevereiro (terça): Carnaval
14 de fevereiro (quarta): Quarta-feira de cinzas (ponto facultativo até as 14h)
31 de maio (quinta): Corpus Christi
28 de outubro (domingo): Dia do Servidor Público