Flash News : Lava Jato, Dólar fecha em baixa e cresce lucro de Estatais

Sortimentos Flash News Brasil Notíicias

PF prende ex-diretor da Petroquisa na 52ª fase da Lava Jato
O ex-diretor de Novos Negócios da Petroquisa, Djalma Rodrigues de Souza, foi preso hoje (21), em caráter preventivo. Souza é um dos alvos dos 11 mandados judiciais cumpridos por policiais federais durante a 52ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada esta manhã para ampliar as investigações de suspeitas de crimes praticados contra as subsidiárias da estatal petrolífera, alvo do desvio de bilhões de reais, segundo o MPF.

Em nota, o Ministério Público Federal (MPF) informou que a operação deflagrada hoje, apelidada de Greenwich, está relacionada ao aprofundamento das investigações de crimes de corrupção e lavagem de dinheiro e que envolvem o ex-diretor da Petroquisa e seus parentes. Denunciado anteriormente pela força-tarefa da Lava Jato, Souza, já tinha sido citado em um mandado de prisão, durante a 46ª fase da Lava Jato, mas não chegou a ser preso na ocasião.

Segundo a PF, além da prisão preventiva de Souza, foram cumpridos nove mandados de busca e apreensão nas cidades do Rio de Janeiro, Recife e de Timbaúba (PE). O alvo de um mandado de prisão temporária cujo nome não foi confirmado se comprometeu com se apresentar à Polícia Federal (PF) em São Paulo. Os dois suspeitos detidos serão escoltados à superintendência da PF em Curitiba, onde ficarão à disposição da 13ª Vara da Justiça Federal.

De acordo com a PF, indícios já reunidos pelos investigadores demonstram que a Odebrecht era favorecida na obtenção de contratos de prestação de serviços às subsidiárias da Petrobras. Em troca, seus executivos favoreciam os funcionários das subsidiárias da estatal petrolífera que participavam do esquema fraudulento.

Ainda segundo a PF, os processos de contratação eram direcionados pelos funcionários das subsidiárias da Petrobras responsáveis pela seleção das prestadoras de serviço. Eles estabeleciam parâmetros que só as empresas participantes do esquema podiam atender.

O MPF acusa Souza de ter recebido R$ 17,7 milhões entre dezembro de 2010 e março de 2014, quando respondia pelo projeto do Complexo Petroquímico de Suape, em Pernambuco. De acordo com o MPF, os valores teriam sido transferidos ao ex-diretor da Petroquisa através de contas em nomes de empresas off-shores controladas pelo grupo Odebrecht.



Dólar fecha em baixa após atuação do BC
O dólar recuou 0,51% na quinta-feira (21.06.18), fechando o dia cotado a R$ 3,7633 para venda. O Banco Central voltou a atuar no mercado de swaps cambiais (venda da moeda norte-americana no mercado futuro) para segurar a cotação abaixo dos R$ 3,80.

A autoridade financeira injetou US$ 4 bilhões na semana, dos US$ 10 bilhões anunciados até amanhã para conter a alta do dólar. O BC já havia realizado leilões extraordinários entre os dias 8 e 15, totalizando US$ 24,5 bilhões.

O índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Ibovespa) fechou hoje (21) em queda acentuada de 2,84%, com 70.074 pontos, revertendo a alta nos dois últimos dias.

Tensões externas com notícias do acirramento da guerra comercial entre os Estados Unidos e China influenciaram na baixa da Bovespa, com as ações preferencias da Petrobras registrando grande queda, caindo 6,42%, mesma tendência dos papéis da Vale com perdas de 3,13%, Bradesco caindo 4% e Itaú com perdas de 2,69%.



Estatais registram lucro 44,8% maior no primeiro trimestre de 2018
Os cinco maiores grupos das empresas estatais, composto por Petrobras, Eletrobras, BNDES, Banco do Brasil e Caixa, tiveram lucro de R$ 15,1 bilhões no primeiro trimestre deste ano (janeiro a março). O valor é 44,8% superior ao obtido no mesmo período de 2017, quando essas empresas, que representam 90% do total de ativos do setor estatal federal, haviam apresentado lucro de R$ 10,4 bilhões.

Os dados fazem parte do 6° Boletim das Estatais Federais, divulgado pelo Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão. “Os resultados das empresas estatais federais continuam evoluindo positivamente, tendo em vista os esforços para a melhoria da governança e reestruturação das empresas”, informou a pasta, em nota.

O boletim também traz dados referentes à redução do quadro de pessoal das estatais. O total de empregados é de 500.967 pessoas, o que representa queda de 0,7% em relação ao mês de dezembro de 2017, e 8,9% em relação ao fechamento do ano de 2015, quando as empresas apresentavam um número total de 550.208 empregados.

O nível de endividamento das empresas ficou baixou para R$ 390 bilhões, o melhor resultado desde 2014. No ano passado, o endividamento das estatais era de R$ 412 bilhões. Se comparado com o endividamento de dezembro de 2015 (R$ 544 bilhões), a redução total foi 28,3% em relação ao número atual.

O Programa de Dispêndios Globais (PDG) é de R$ 1,7 trilhão para 2018, informou ainda a Secretaria de Coordenação e Governança das Estatais, órgão vinculado ao Planejamento. Atualmente, existem 144 estatais federais no país.