Greve dos Caminhoneiros : mídia promove divulgação de ‘Fake Acordo’ em ‘Barrigada’ com jeito de ‘Fake News’

Greve dos Caminhoneiros - Foto Marcelo Pinto - APlateia
Greve dos Caminhoneiros – Foto Marcelo Pinto – APlateia

Fake News ?

Emissoras de televisão ( Globo, Globo News, Band, Band News SBT, Rede TV ) promovem divulgação de ‘Fake Acordo’ em ‘Barrigada’ com jeito de ‘Fake News’. Os veículos de comunicação ‘validaram’ a coletiva de imprensa onde somente representantes do governo falaram. Os ministros dos Transportes, Valter Casimiro Silveira; da Secretaria de Governo, Carlos Marun; da Casa Civil, Eliseu Padilha; e da Fazenda, Eduardo Guardia, falaram sobre acordo e os canais deram como certo uma informação exibindo apenas uma das partes, o governo. Na coletiva de imprensa não houve perguntas aos representantes dos caminhoneiros. Antes, porém, um dos representantes dos manifestantes saiu da reunião declarando que não havia acordo. Jornalistas não acreditaram na ‘fala’ do representante nem nas ‘vozes das estradas’. Preferiram acreditar no Governo. Uma grande BARRIGADA nacional!

Valter Campanato - Agencia Brasil - Fake News Fake Acordo

Governo negociou com quem ?
Tentaram ‘plantar’ uma notícia. E não colou. A imprensa validou uma reunião com políticos desgastados e sem credibilidade. Pior, os representantes, não representavam ninguém. Sem reconhecimento das ‘estradas’ para tal representação. Já o Presidente Michel Temer, delegou, desapareceu e está amórfico em relação a manifestação que cresce a cada instante com adesões de motociclistas, motoristas de aplicativos e vans e até do setor hidroviário.
O governo,’moroso’, incompetente, ilegítimo, desacreditado e impopular pode levar o país para uma grave crise social. Senadores e deputados federais omissos escondidos para não comprometerem as candidaturas nas eleições 2018. Enquanto isso, a crise está encaminhando o país ao caos. Momentos difíceis virão.

Descompasso
A mídia tradicional não consegue mais produzir os efeitos esperados na população. A manipulação da informação está comprometida. Aliada com os interesses de um governo sem credibilidade, buscando gerar notícias distante da realidade vivenciada pela população, perde espaço e credibilidade para a mídia social, que reflete de forma democrática a opinião e descontentamentos dos cidadãos. Há um distanciamento entre veículos de comunicação e população que busca outras fontes informação.

Brasil registra redução de 1.081.024 contratos de TV por assinatura em 12 meses
De acordo com dados divulgados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), na quinta, 26 de Abril de 2018, o Brasil registrou 17.851.565 contratos de TV por assinatura no mês de março de 2018. Nos últimos 12 meses, a redução foi de 1.081.024 contratos (-5,71%). E em relação ao mês anterior, março apresentou uma pequena redução de 972 contratos (-0,01%).

Empresas
A participação de mercado das prestadoras móveis ficou assim dividida em março de 2018: A NET possui 8.973.366 clientes, o que representa 50,27% do mercado, a Sky possui 5.298.485 clientes, o que equivale a 29,68% do mercado. A Telefônica possui 1.586.498 de clientes (8,89% do mercado) e a Oi possui 1.526.399 clientes (8,55% do mercado).

Nos últimos 12 meses, somente duas empresas registraram crescimento: a Oi com +175.163 contratos (+12,96%) e Algar com um leve aumento, de 362 contratos (0,37%). As demais empresas apresentaram queda, com destaque para NET, com a perda de 765.891 contratos (-7,86%) e Sky com redução de 289.986 contratos (-5,19%).

Unidades da Federação
Dentre os estados, em 12 meses, as maiores reduções de contratos, em termos percentuais, foram: no Amapá com -3.021 (-12,89%), Pernambuco com -47.104 (-12,66%) e Sergipe com -11.174 (-11,69%). Em termos quantitativos as maiores quedas foram: em São Paulo com -485.499 contratos (-6,71%) e Rio de Janeiro com -129.250 contratos (-5,05%). Maranhão, Piauí e Tocantins registraram pequenos aumentos no serviço.

Na comparação entre fevereiro e março de 2018, as maiores reduções percentuais foram: no Amapá com -264 contratos (-1,28%) e no Pará com -4.913 contratos (-1,59%). Em termos quantitativos, as maiores diminuições foram: no Rio de Janeiro com -5.932 contratos (-0,24%) e no Pará com -4.913 contratos (-1,59%). O Rio Grande do Sul registrou um aumento de 8.082 contratos de TV por assinatura, de fevereiro para março de 2018.