Em 2017, número de novos microempreendedores individuais chegou a 1,7 milhão

Brasil Notícias Economia Nascimento de Empresas Microempreendedores Individuais


Das 2.202.662 novas empresas instaladas no país em 2017, 78,7% são MEIs. Os números são do Indicador Serasa Experian de Nascimento de Empresas. A maioria dos novos negócios (8,2%) são serviços de alimentação. A região Sudeste, que responde por 54% do PIB do país, é também a principal sede das novas empresas: 52,1% dos nascimentos aconteceram nessa região. Fica a questão : qual será a taxa de mortalidade das MEIs.

Em 2017, surgiram no país 1.733.061 microempreendedores individuais (MEIs), 78,7% do total de 2.202.622 novas empresas constituídas entre janeiro e dezembro do ano passado. Ambos números são os maiores já apurados pelo Indicador Serasa Experian de Nascimentos de Empresas desde que a apuração passou a ser feita, em 2010. A quantidade de novos MEIs também é 11,9% superior ao registrado em 2016, quando 1.548.950 novas empresas desse segmento nasceram, frente a um total de 1.976.534 novas companhias.

No último mês de dezembro, quando surgiram 119.314 empresas, o número de novas MEIs foi de 94.786, contra 84.658 nascimentos registrados em dezembro/2016, alta de 12,0%. De dezembro de 2010 até dezembro de 2017 a representatividade dos MEIs foi crescente e impulsionou o aumento geral no número de novas empresas no país.

De acordo com os economistas da Serasa Experian, o recorde apresentado em 2017 foi determinado pelo chamado empreendedorismo de necessidade. A destruição de vagas no mercado formal de trabalho leva boa parte dos desempregados a abrir um negócio, visando a geração de alguma renda, o que contribui para a curva ascendente na quantidade de MEIs nascidas. Outro fator é a crescente formalização dos negócios no Brasil. Em sete anos os Microempreendedores Individuais passaram de 48,9%, em 2010, para 78,7%, em 2017.

Nascimentos de empresas em outras naturezas jurídicas
As Sociedades Limitadas registraram a criação de 181.103 unidades em 2017, representando aumento de 2,9% em relação ao ano anterior, quando 175.932 empresas desta natureza surgiram. O nascimento de Empresas Individuais subiu 17,58%, com um total de 158.163 novos negócios em 2017; entre janeiro e dezembro de 2016 foram 134.630 nascimentos. O nascimento de novas empresas de outras naturezas teve alta de 11,3%, com 130.295 novos negócios, em 2017, contra 117.022 em 2016.

Nascimentos de empresas por setor
O setor de serviços continua sendo o mais procurado por quem quer empreender: de janeiro a dezembro de 2017, 1.406.634 novas empresas surgiram neste segmento, o equivalente a 63,9% do total de empresas nascidas. Os novos comércios totalizaram 615.087 (27,9% do total) e, no setor industrial, foram abertas 173.736 empresas (7,9% do total).

Observa-se nos últimos sete anos um crescimento constante na participação das empresas de serviços no total de empresas que nascem no país, passando de 53,1% (janeiro a dezembro de 2010) para 63,9% (janeiro a dezembro de 2017). Por outro lado, a participação do setor comercial de empresas que surgem no país tem recuado (de 35,6%, em 2010, para 27,9% no mesmo período de 2017). Já a participação das novas empresas industriais se mantém estável, variando pouco (8,5% em 2010 e 7,9% em 2017).

Análise das empresas por ramo de atividade
Existem modalidades de empresas mais visadas pelos empresários na hora de definir qual será o ramo de atuação dos novos empreendimentos. De acordo com os dados, entre as 2.202.622 novas empresas nascidas no ano passado, 181.081 foram serviços de alimentação (8,2% do total). Em seguida aparecem 161.014 novos empreendimentos no ramo de serviços de higiene e embelezamento pessoal (7,3% do total). Na terceira posição estão 150.764 (6,8%) novos comércios de confecção em geral. No ramo de reparação e manutenção de prédios e instalações elétricas (6,7% do total) foram abertas, em 2017, 147.601 novas empresas. O comércio varejista de gêneros alimentícios ficou em quinto lugar (3,9% do total), com 86.610 nascimentos.

Nascimento de empresas por regiões e estados
O Sudeste segue liderando o ranking de nascimento de empresas, com 1.147.727 novos negócios abertos em 2017 ou 52,1% do total. A Região Sul ocupou a segunda posição, com 17,4% (383.494 empresas). O Nordeste ficou em terceiro lugar, com participação de 16,6% e 365.239 novas empresas. O Centro-Oeste registrou a abertura de 199.232 empresas e foi responsável por 9,0% de participação no total de nascimentos, seguido pela Região Norte, com 106.930 novas empresas ou 4,9% dos empreendimentos inaugurados.

O Centro-Oeste foi a região que registrou a maior alta no número de nascimentos (16,4%) na comparação entre 2017 e 2016. A região Sul teve crescimento de 15,7% no período, seguida pela região Norte, que apresentou elevação de 13,0%. O Sudeste contabilizou a abertura de 11,8% a mais de novos empreendimentos na checagem entre 2017 e 2016 e, no Nordeste, o aumento representou 10,0% na comparação interanual.

Entre os estados, em 2017, São Paulo foi responsável por 28,1% dos novos negócios, totalizando 619.588. A segunda posição no ranking nacional de nascimentos em 2017 ficou com Minas Gerais, com 245.540 novos empreendimentos, (11,1%). Em seguida, o estado com maior número de novas empresas foi o Rio de Janeiro, com 231.135 nascimentos, 10,5% do total.