Bienal do Mercosul 2018 apresenta África, América e Europa em uma só história

Equation Faig Ahmed Textile Museum of Sweden

Bienal do Mercosul 2018

O Triangulo Atlântico é o tema que narra a 11ª Bienal do Mercosul, que ocorre de 5 de abril até 3 de junho de 2018, em Porto Alegre e Pelotas, ambas cidades no Rio Grande do Sul. Com curadoria de Alfons Hug (Alemanha) e curadoria adjunta de Paula Borghi (Brasil), seis exposições apresentam 77 artistas, sendo 21 da África, 19 do Brasil, 20 da América Latina, onze da Europa e seis da América do Norte, divididos entre o Museu de Arte do Rio
Grande do Sul – MARGS, Memorial do Rio Grande do Sul, Santander Cultural, Igreja das Dores, Comunidade Quilombola do Areal, em Porto Alegre, e na Casa 6, em Pelotas.

Trata-se de um convite para adentrar as águas atlânticas e as surpreendentes forças que as habitam para reconhecer que a história dos povos do Mercosul também tem uma importante contribuição do outro lado do oceano. Em sua 11ª edição, a Bienal do Mercosul lança um olhar sobre todo o espaço atlântico ou, mais precisamente, sobre aquele triângulo mágico que parece interligar o destino da América, África e Europa há mais de 500 anos.

ABERTURA
Dia 5 de abril, às 19h30, a Fundação Bienal de Artes Visuais do Mercosul realiza uma celebração na Praça da Alfândega relativa à 11ª Bienal do Mercosul | O Triangulo Atlântico, que ocorre a partir de 6/4 no Museu de Arte do Rio Grande do Sul – MARGS, Memorial do Rio Grande do Sul e Santander Cultural. Dirigido por Antônio Borges-Cunha, num palco localizado entre o Memorial e o MARGS, o programa oferece espetáculo musical com os artistas Vitor Ramil, Glau Barros, Angela Diehl, Thiago Colombo, Dudu Sperb, Anaadi, Jorginho do Trumpete e Olinda Alessandrini; uma apresentação do grupo “Máscara em Cena” com direção de Liane Venturella; intervenções teatrais com esquetes de alunos do Instituto de Artes da UFRGS coordenados por Patrícia Fagundes; leitura de textos clássicos por Zé Adão Barbosa e performance de dança contemporânea dirigida por Renata de Lélis. Dia 6 de abril, as exposições abrem oficialmente para o público, com entrada franca e para todas as idades.