Kombucha : bebida feita a partir da fermentação do chá conquista adeptos da alimentação saudável

Kombucha

Kombucha

Bebida feita a partir da fermentação do chá, o kombucha conquista os adeptos da alimentação saudável

As garrafas de “kombucha” ganham espaço em prateleiras e geladeiras. O refresco é criado a partir da fermentação do chá e possui uma grande quantidade de vitaminas e nutrientes, além de ser feito a partir de ingredientes naturais. São alimentos produzidos a partir do processo metabólico de microorganismos que ganharam status e espaço como opção excelente e elegante para refrigerantes e bebidas alcoólicas.

Kombucha é uma bebida milenar feita a partir de um chá ou infusão adoçado que, a partir da fermentação controlada, oferece qualidades probióticas (organismos compatíveis com a nossa flora intestinal), enzimas que auxiliam a digestão, além de vitaminas do complexo B e K provenientes do processo metabólico dos microrganismos. O resultado é em uma bebida saborosa, refrescante e frisante. Ideal para o verão.

Produção e variedade
Cada kombucha tem a personalidade de quem produz gerando uma grande variedade no mercado: pode ser doce, seco, amargo, mais alcoólico ou mais suave. Produzido apenas com ingredientes naturais, o Kombucha pode ter características completamente diferentes de sabor e aroma, visto que elas são uma consequência da combinação de seus ingredientes. O Kombucha pode ser de qualquer sabor. A criatividade não tem limites, da mistura de chás e infusões para a primeira fermentação até frutas e especiarias para a segunda fermentação. Importante : os ingredientes escolhidos irão determinar a validade do sabor por mais ou menos tempo. A única regra é utilizar o açúcar branco, cristal ou demerara para fermentar; observe sempre se há álcool devido a fermentação e neste caso não dê para crianças ou gestantes. O kombucha não é remédio e para ter seus benefícios é preciso alinhar o consumo junto à um estilo de vida balanceado e saudável.

Como fazer em casa
Para preparar um Kombucha você precisa contar com uma colônia específica de bactérias saudáveis que serão responsáveis por sua fermentação. Essas colônias, chamadas também de SCOBY ou mãe do Kombucha, são formadas de bactérias e leveduras que parecem com discos translúcidos e com textura mais amolecida.

Para obter uma colônia, é preciso receber uma doação de um SCOBY saudável de alguém que já produz seu próprio Kombucha. Essa mesma pessoa lhe orientará sobre o uso e cuidado da mesma.

O processo de fermentação do Kombucha é feito no chá verde, preto ou mate e é alimentado pela adição de açúcar (que pode ser cristal, refinado ou demerara) na mistura. O volume de açúcar adicionado (e a escolha do tipo de chá) é o responsável pelo desenvolvimento de suas características de sabor e aroma.

Sugestão para fazer em casa
– 1 colônia de Kombucha e 100ml do líquido que fica com a colônia, também conhecido como ‘starter’
– 1 litro de chá adoçado (mate, chá preto, chá verde…), adoce com o quanto você tomaria.
– 1 pote de pelo menos 1 litro para fermentar, de preferência de boca larga que entre uma mão
– 1 garrafa pet de pelo menos 1 litro para o envase
– Especiarias ou frutas para saborizar

Preparo:
1) Misture o chá adoçado, em temperatura ambiente com a colônia e o starter.
2) Cubra o pote com um pano e elástico e deixe em temperatura ambiente evitando a luz solar direta.
3) Experimente o chá de 2 em 2 dias com uma colher para acompanhar a mudança do sabor. Dependendo da temperatura pode levar de 5 a 15 dias para ter uma mudança grande no sabor que deve ser bem menos doce do que no início e não tão acético (sabor de vinagre).
4) Após o período da primeira fermentação, extraia 90% do líquido para uma garrafa pet e saborize com especiarias: cravo, canela, grãos de café, cardamomo ou frutas: pedaços ou no máximo 100ml de suco de frutas (10% do total de kombucha pronto).
5) Feche bem a garrafa e certifique-se que não está vazando e deixa fora da geladeira até a garrafa pegar pressão naturalmente (você sentirá apertando a garrafa). Quando pegar pressão, coloque na geladeira e beba gelado. Consuma em até 10 dias, mais do que isso o sabor poderá ser alterado. Com o scoby e o líquido que ficou no pote, adicione mais chá e recomece o processo. Caso não for fazer mais Kombucha, adicione mais 500ml de chá e deixe por até 2 meses em um local fresco. Se por acaso o sabor do chá ficar muito acético (sabor de vinagre), despreze 90% do chá e recomece deixando fermentar por menos tempo.

O SCOBY (comunidade simbiótica de bactérias e leveduras, tradução do inglês: symbiotic culture of bacteria and yeast) ou mãe do kombucha, como também é conhecido, é uma união de mais de 30 tipos de bactérias e leveduras diferentes que vivem em simbiose e harmonia, alimentando-se do substrato (chá e açúcar), que em troca nos fornecem diversas substâncias boas como o ácido lático, acético, enzimas e vitaminas. Sua origem é chinesa e tem registros há mais de 5000 anos na história.

Os cuidados com a colônia:
– O scoby não precisa ser refrigerado, mas sempre deve ser mantido com líquido (chá).
– Nunca feche o scoby em um pote com tampa. Utilize sempre panos para cobrir e elásticos para prender, a colônia precisa de oxigênio.
– Utilize apenas açúcar branco, cristal ou demerara. Esse é o alimento da colônia. Outros açúcares são mais difíceis ou impossíveis da colônia metabolizar.
– Utilize apenas chá branco, preto, mate, hibisco e verde. Não utilize chás saborizados e outras coisas que não são chá ou infusão, não irá funcionar.
– Não utilize garrafas de vidro para envasar o chá. Fermentação é uma transformação muito séria e requer muitos estudos até chegar em uma formulação perfeita e sem risco de explosão para ser envasado em vidro. Sim, a garrafa pode explodir e causar um acidente se não for feito com responsabilidade.
– Não deixe nunca seu kombucha descoberto, pois moscas de frutas são atraídas pelo cheiro e podem contaminar a colônia.
– Se a colônia mofar, jogue fora, esterilize tudo e comece de novo.
– Nunca coloque nenhum líquido fervendo ou muito quente no scoby, a temperatura ideal é sempre a ambiente. Como a colônia cresce rapidamente e em grande quantidade, com o excedente é possível fazer máscaras faciais, doces, sabonetes e até tecidos pela rica composição em celulose.

.